SIGA O 24H

Comunidade

Bairros da zona norte de Londrina estão abandonados

Praças e parques não são revitalizados há pelo menos 30 anos.

Publicado

em

LONDRINA – Fazem 30 anos desde a última vez que a prefeitura passou pela pracinha do Milton Gavetti, na avenida Curitiba, zona norte de Londrina. Desde então, o espaço vem sendo mantido pela iniciativa popular e organizações locais, que procuram manter o local limpo – pelo menos.

Bancos estão quebrados, sem manutenção – Foto: Derick Fernandes / 24H

Assim como o Milton Gavetti, vários outros espaços públicos estão em completo estado de abandono na zona norte de Londrina. A falta de infraestrutura prejudica toda uma população, que vê a cidade cada vez menos atrativa para o comércio, indústria e turismo. Dezenas de praças estão encobertas de mato, ou sem iluminação, com equipamentos quebrados, etc.

Outro exemplo é a Praça Ângelo Cretã (Mata do Luiz de Sá), no Conjunto Maria Cecília. Por lá, há pelo menos 20 anos desde a última vez que alguma coisa foi feita. Atualmente, o local que abriga espécies de árvores nativas da região norte do Paraná, é ponto para desocupados que, de acordo com vizinhos próximos, fazem uso e comercialização de drogas.

Praça Ângelo Cretã: outro lugar abandonado – Foto: Arquivo

LAGO CABRINHA

Assim como no Milton Gavetti e no Maria Cecília, o abandono também atinge os parques da região. Os únicos existentes (Lago Cabrinha e Lago Norte) estão sem zelo. No Cabrinha, a situação é dramática principalmente para as capivaras, que vivem no lodo e em meio a muito lixo.

Área do Lago Cabrinha – do mesmo jeito há anos. Foto: Folha de Londrina

No Lago Norte a situação é semelhante ao vizinho, Cabrinha. O ponto é muito frequentado por moradores da zona norte aos finais de semana, e é um excelente espaço de lazer, mas está com sua manutenção deficitária. Em alguns locais o mato toma conta, gerando riscos de picada de insetos, e afastando os frequentadores.

PREFEITURA

Segundo a Prefeitura de Londrina, está em andamento um programa de revitalização de espaços urbanos. Alguns exemplos citados foram a Praça Rocha Pombo e Floriano Peixoto (Matriz) que receberam intervenção recentemente. Não há, no entanto, uma previsão de quando a zona norte passe a receber as melhorias.

Publicidade

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Comunidade

Audiência pública discute nova licitação do transporte coletivo em Londrina

Evento será às 19h no auditório do Senai.

Publicado

em

Foto: Guilherme Gaida / 24Horas

Acontece na noite desta sexta-feira (24), às 19h, a audiência pública que deve discutir a nova licitação do transporte coletivo de Londrina. A reunião vai ser realizada no auditório do Senai, que fica localizado na Rua Belém, 844, no centro da cidade.

A audiência é organizada pela prefeitura e Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU). Eles vão apresentar o novo projeto de concessão que prevê contratação das empresas que serão responsáveis pela prestação do serviço.

A comunidade pode participar com opiniões sobre os projetos e ainda protocolar sugestões para melhorar a proposta de concessão. “As inscrições começam às 19h e na sequência da apresentação da proposta, será aberta a discussão à comunidade. As propostas devem ser feitas por escrito”, explicou Wilson de Jesus, diretor de transportes da CMTU.

LEIA TAMBÉM >

O atual contrato de concessão contempla duas empresas, e existe desde 2003. O município é atendido pela Londrisul, que cuida da zona sul, e a Transportes Coletivos Grande Londrina (TCGL) que atende as demais regiões da cidade, e é responsável por 80% das linhas.

O contrato terminaria em janeiro deste ano, mas no fim de 2018, quando a prefeitura lançou a licitação, a TCGL recorreu ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e conseguiu liminar embargando o processo. A empresa também ameaçou demitir funcionários e fechar as portas por não concordar com a proposta apresentada pela prefeitura de Londrina na licitação.

Depois de vários recursos e negativas do TCE, a prefeitura decidiu cancelar a licitação e lançar um novo edital. O procedimento terá ajustes e atualizações como dados operacionais e dos valores dos insumos, detalhes que foram criticados pelo Tribunal.

Ainda conforme a CMTU, não é possível afirmar se a tarifa irá subir ou diminuir com a nova concessão.

TCGL controla as operações de transporte urbano em Londrina há 60 anos – Foto: Arquivo

Leia Mais

Comunidade

Abandonados, moradores de Irerê interditam PR-445 e pedem melhorias

População diz que prefeitura deixa a desejar no distrito.

Publicado

em

Foto: Colaboração / 24Horas

Moradores de Irerê, distrito na zona sul de Londrina, bloquearam a PR-445, que liga a capital do estado, durante a madrugada desta segunda-feira (20). Eles protestam pela falta de serviços públicos no distrito, e alegam que estão abandonados.

Conforme os populares, a prefeitura de Londrina deixa a desejar. Faltam médicos na Unidade de Saúde e linhas de ônibus que atentam a região. Outro problema crônico apontado é a pavimentação asfáltica: as ruas do distrito estão com péssima conservação.

“Os médicos ficam até 15h no posto de saúde. A situação do nosso distrito é caótica e estamos completamente abandonados pelas autoridades. Não temos capela mortuária, temos que velar nossos entes queridos em casa. As ruas estão sem asfalto e quando chove, a situação é precária, com água entrando nas residências”, disse Silene Feitosa à reportagem da rádio 91.7.

A comunidade também disse que só fará a liberação da rodovia quando o prefeito Marcelo Belinati ir até o local conversar com a população.

O protesto é feito de forma pacífica e acompanhado pela GM e Polícia Militar.

Protesto em Irerê, na zona sul de Londrina – Foto: Colaboração / 24Horas

Leia Mais

Apucarana

Projeto social é realizado para moradores do bairro do Sumatra em Apucarana

10°BPM e Cidadania nos bairros.

Publicado

em

APUCARANA – Na manhã deste sábado(23) foi realizado pelo 10° Batalhão de Polícia Militar(10°BPM),o evento”10°BPM e Cidadenia”no bairro do Sumatra em Apucarana,norte do Paraná.

O Capitão Vilson Laurentino,contou que o projeto tem objetivo de proporcionar maior integração e aproximação da PM com a comunidade,aonde esteve presente no evento a Guarda Municipal(GM),Defesa Civil,Polícia Civil,Polícia Rodoviária Estadual(PRE) e  também no evento a Faculdade de Apucarana (FAP), Faculdade do Norte Novo de Apucarana (Facnopar), Ciretran, Ministério Público, Copel, Sanepar, Agência do Trabalhador, Secretaria de Assistência Social, entre outros.

Foto ; Lucas Leal / 24horas

Ainda de acordo com o Capitão Vilson,a Polícia sempre estará a disposição da comunidade em servir e proteger é nosso dever,finaliza.O evento contou com a presença do deputado estadual, José Aparecido Jacovós que conversou bastante com moradores daquela região,e falou a importância de desenvolver eventos que proporcionem atendimentos de cidadania. “É um bairro extremamente carente e pobre, onde as pessoas lutam para sobreviver, com muitas dificuldades. Então é fundamentar trazer cidadania e humanidade”, disse.

Foto ; Lucas Leal / 24horas

Leia Mais
Publicidade

Curta o 24Horas