32 C
Londrina

Bolsonaro demite Ricardo Vélez do Ministério da Educação

Leia também:

Homem traído pela mulher se pendura na rede elétrica no Centro de Londrina

Ele tentou suicídio, mas não sofreu ferimento algum.

Filha de Silvio Santos pede demissão do SBT

Nesta quinta-feira (20) a apresentadora do "Bom dia e Cia", Silvia Abravanel, filha de Silvio Santos, surpreendeu a todos com um pedido de demissão. A confusão começou quando Silvia ficou indignada com uma fake news, falando que sua equipe teria ficado dispersa no programa de segunda-feira (17), pois a apresentadora teria faltado. Na quarta-feira (19), Silvia chamou no palco, ao vivo, membros de sua equipe para justificar sua falta. 

Policial morre em confronto durante assalto a banco em Telêmaco Borba

Bandidos estavam armados com fuzis e escopetas.
Derick Fernandeshttps://www.24horas.com.br
O jornalista Derick Fernandes é editor chefe do 24Horas
- Publicidade -

Após receber críticas pelas trocas no comando de secretárias desde que assumiu o Ministério da Educação, Ricardo Vélez Rodrigues é exonerado por Jair Bolsonaro. A exoneração deve ser publicada no Diário Oficial somente na terça-feira (9).

Bolsonaro usou o Twitter para confirmar a demissão de Ricardo Vélez e já anunciar o novo comandante da pasta. “Comunico a todos a indicação do Professor Abraham Weintraub ao cargo de Ministro da Educação. Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta. Aproveito para agradecer ao Prof. Vélez pelos serviços prestados”, publicou Bolsonaro na manhã desta segunda-feira (8).

O novo chefe do Ministério da Educação é economista e professor na Universidade de São Paulo (USP). Abraham Weintraub fez parte da equipe de transição de Temer para Bolsonaro e foi inicialmente cogitado como um nome para a Casa Civil.

O agora ex-ministro, Ricardo Vélez é colombiano, mas morador de Londrina onde é professor de Filosofia e autor de mais de 30 obras, além de Mestre em Pensamento Brasileiro pela Pontifícia Universidade Católica RJ, Doutor em Pensamento Luso-Brasileiro pela Universidade Gama Filho e Pós-Doutor pelo Centro de Pesquisas Políticas Raymond Aron, Paris. Vélez chegou ao cargo de ministro após indicação de Olavo de Carvalho.

Vélez é o segundo ministro a ser exonerado por Bolsonaro com menos de três meses de governo. O primeiro foi Gustavo Bebbiano, ex-secretário-geral da Presidência da República.

Durante sua gestão no Ministério da Educação, Vélez criou algumas polêmicas, a mais recente foi quando disse que o “31 de março” foi uma decisão soberana da sociedade brasileira, e que desejava mudar os livros didáticos para revisar a maneira como eles tratam a ditadura militar e o golpe de 1964.

 

Assine nossa Newsletter

Receba diariamente as principais notícias do Paraná e do Brasil.

Comentários

#Face24H

- Publicidade -