23 C
Londrina

Governa autoriza contratação de professores temporários em universidades

Leia também:

Homem morre em acidente entre moto e ônibus na Dez de Dezembro

Acidente aconteceu próximo ao acesso do Jardim Piza, na Zona Sul.

Pai, mãe e filho morrem em acidente na BR-101 em Jaguaré, no ES

Vítimas estavam indo passar o feriado de carnaval no litoral.

Homem traído pela mulher se pendura na rede elétrica no Centro de Londrina

Ele tentou suicídio, mas não sofreu ferimento algum.
Redaçãohttps://www.24horas.com.br
Reportagens da Redação 24Horas
- Publicidade -

O Governo Estadual autorizou a contratação de horas para professores temporários de cinco universidades estaduais. O anúncio aconteceu nesta segunda (29) no Palácio Iguaçu, em Curitiba, durante reunião do governador Ratinho Junior com reitores.

Em 18 de julho, o governo havia informado que não autorizaria a contratação de professores temporários. À época, o governo informou que as instituições tiveram gastos demais com horas extras sem autorização da Secretaria de Educação.

As universidades argumentaram que, sem os professores temporários, alguns cursos ficariam sem aulas.

Na semana passada, os reitores das universidades fecharam acordo com representantes do governo, e se comprometeram a apresentar esclarecimentos acerca dos pagamentos feitos no primeiro semestre.

Segundo a Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), as seguintes universidades foram autorizadas:

  • Universidade Estadual de Maringá (UEM) – 18.000 horas;
  • Universidade Estadual de Londrina (UEL) – 8.366 horas;
  • Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) – 7.500 horas;
  • Universidade Estadual do Paraná (Unespar) – 10.500 horas;
  • Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste): 8.435 horas.

Além dessas citadas, a Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) e a Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) já haviam sido autorizadas a contratar horas.

Assine nossa Newsletter

Receba diariamente as principais notícias do Paraná e do Brasil.

Comentários

#Face24H

- Publicidade -