24 C
Londrina

Somados, SBT e Record não conseguem atingir audiência da Globo no jornalismo

Leia também:

Policial morre em confronto durante assalto a banco em Telêmaco Borba

Bandidos estavam armados com fuzis e escopetas.

Homem traído pela mulher se pendura na rede elétrica no Centro de Londrina

Ele tentou suicídio, mas não sofreu ferimento algum.

Filha de Silvio Santos pede demissão do SBT

Nesta quinta-feira (20) a apresentadora do "Bom dia e Cia", Silvia Abravanel, filha de Silvio Santos, surpreendeu a todos com um pedido de demissão. A confusão começou quando Silvia ficou indignada com uma fake news, falando que sua equipe teria ficado dispersa no programa de segunda-feira (17), pois a apresentadora teria faltado. Na quarta-feira (19), Silvia chamou no palco, ao vivo, membros de sua equipe para justificar sua falta. 
Derick Fernandeshttps://www.24horas.com.br
O jornalista Derick Fernandes é editor chefe do 24Horas
- Publicidade -

O presidente Jair Bolsonaro recebeu, na noite de sexta-feira (06) no Palácio da Alvorada, o dono da RecordTV, bispo Edir Macedo, e o comunicador Silvio Santos, proprietário do SBT.

Os empresários também foram convidados de honra para assistir o desfile militar de Sete de Setembro, na Esplanada dos Ministérios.

Ambas as emissoras digladiam pela vice-liderança no Ibope, e são vistas pela imprensa e no círculo político como aliadas do presidente, e produzem um jornalismo afinado com o Planalto.

Enquanto isso, a Globo e GloboNews criticam o governo com reportagens investigativas e opiniões contundentes. Seus comentaristas contestam vários projetos e decisões do governo.

Silvio Santos tem relações cordiais com a Globo, onde trabalhou de 1966 a 1972. Já Edir Macedo – como Bolsonaro – enxerga o canal carioca como uma pedra no sapato.

Macedo e Bolsonaro sempre aparecem criticando e debochando da emissora.

SEM TETA

Na semana passada, o ápice dessa briga foi a declaração do presidente quanto ao principal telejornal da Globo, o Jornal Nacional. “Não tem mais teta. Não está mamando mais na teta do governo”.

O corte de verba publicitária a veículos do Grupo Globo foi uma promessa de campanha – assumida em tom de vingança. Bolsonaro afirma ser perseguido pelas TVs, jornais, rádios e revistas do clã Marinho.

A aproximação do presidente a Edir Macedo e Silvio Santos dá a ele um espaço relevante em atrações no horário nobre, como o Jornal da Record e o SBT Brasil, que divulgam as realizações e ideologias do governo.

Entretanto, isso não garante a mesma visibilidade que qualquer notícia encontra nos jornais da Globo. O canal da família Marinho fundado há 54 anos vive uma fase tranquila no ranking Kantar-Ibope.

Para se ter uma ideia, a soma da média diária (das 7h à meia-noite) de RecordTV e SBT não alcançam o índice da poderosa concorrente. Entre 29 de agosto e 5 de setembro, por exemplo, a RecordTV conquistou média de 6.7 pontos, enquanto o SBT marcou 6.8. A Globo, cravou 17 pontos.

No mesmo período, os principais jornais das três redes pontuaram com muita diferença. O Jornal da Record teve média de 5.2 pontos. O SBT Brasil marcou 6.9 e o Jornal Nacional, 32.2 pontos de audiência. Cada ponto refere-se a 116 mil lares ligados no canal em São Paulo, a principal praça da pesquisa.

Desde 2013, durante os protestos, a Globo é alvo de tentativas de boicote. Várias páginas tentam mobilizar espectadores a não assistirem mais ao canal. O movimento cresceu na campanha presidencial do ano passado, incentivado por apoiadores de Bolsonaro.

Por ora, a liderança não foi abalada.

Assine nossa Newsletter

Receba diariamente as principais notícias do Paraná e do Brasil.

Comentários

#Face24H

- Publicidade -