SIGA O 24H

Mundo

‘Viagra para mulheres’ é aprovado por agência reguladora nos Estados Unidos

O FDA (ou Administração de Comidas e Remédios em português) aprovou um remédio, Vyleesi, que visa aumentar o desejo sexual em mulheres com Síndrome do Desejo Sexual Hipoativo.

Publicado

em

Vyleesi, Viagra Para Mulheres

O FDA (ou Administração de Comidas e Remédios em português) aprovou um remédio que visa aumentar o desejo sexual das mulheres. As informações são da Stat News.

Com o nome de Vyleesi, a droga é injetável na mulher pouco antes do ato sexual. Além disso, o remédio é indicado para mulheres com Síndrome do Desejo Sexual Hipoativo, mais conhecido como TDSH, que nada mais é do que uma perda gradativa do desejo sexual. De acordo com pesquisas, o aumento do desejo foi considerado pequeno.

Contudo, a produtora do medicamento, a AMAG Pharmaceuticals, afirma que por menor que o efeito seja ele faz a diferença em mulheres com tal síndrome. Os efeitos colaterais mais comuns são náusea, que se manifestou em 40% das mulheres testadas. O FDA recomenda que mulheres não usem mais de uma dose no período de 24 horas ou mais de oito doses por mês.

O Vyleesi é o segundo remédio para tratamento da Síndrome do Desejo Sexual Hipoativo aprovada nos Estados Unidos. A primeira droga foi Addyi, que recebeu luz verde em 2015. No entanto, nunca decolocou comercialmente em virtude da contraindicação da ingestão de álcool anterior ao seu uso. Não foi divulgado o quanto será cobrado pelo Vyleesi.

24h entrou em contato com a Anvisa para questionar sobre o produto e sua eventual chegada no Brasil. Mas não recebemos uma resposta imediata.

Publicidade

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Mundo

Evo Morales renuncia presidência da Bolívia

OEA disse que houve fraude em sua eleição no dia 20 de outubro.

Publicado

em

Foto: AP Photo

Horas antes, o comandante das Forças Armadas da Bolívia, Williams Kaliman, havia pedido que Morales renunciasse ao cargo

Pela manhã, Morales anunciou a convocação de um novo pleito eleitoral, depois que a Organização dos Estados Americanos (OEA) afirmou em um relatório preliminar ter observado sérias irregularidades nos resultados da eleição de outubro.

Além disso, a Procuradoria-Geral da Bolívia anunciou hoje o início de ações legais contra juízes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do país por supostos “atos eleitorais ilícitos” e dois ministros de Morales renunciaram dizendo que suas decisões buscam ajudar na pacificação do país.

Com Associated Press

Leia Mais

Mundo

Presidente eleito da Argentina comemora decisão do STF: “Lula livre amanhã”

Alberto Fernández fez postagem após julgamento da corte brasileira.

Publicado

em

Foto: Divulgação / Twitter

O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, comemorou no Twitter a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em tornar ilegal a prisão em segunda instância. O entendimento beneficia diretamente o ex-presidente Lula, preso desde abril de 2018 em Curitiba.

“#LulaLivreAmanhã!”, postou Fernández na sua conta do Twitter, em Português.

O futuro presidente, que assume o cargo em dez de dezembro, escreveu que “há anos” que a Argentina pede que as condenações à prisão só sejam executadas “uma vez que estejam firmes”.

Ele já se manifestou em outras oportunidades seu apoio a Lula e pediu a liberdade do ex-presidente. Certa vez, Alberto Fernández chegou a visitar Lula na prisão, em Curitiba, em julho deste ano. A vice-presidente dele é a ex-presidente argentina Cristina Kirchner, que foi aliada de Lula e Dilma Rousseff. Assim como Lula, Cristina também teve pedido de prisão pela Justiça, mas acabou não sendo presa.

O presidente Jair Bolsonaro já mostrou que não tem afinidade com Fernández e lamentou publicamente a eleição do argentino. Bolsonaro também não parabenizou o presidente eleito pela vitória, e nem comparecerá à posse dele, quebrando uma tradição de 17 anos.

Em nota, a defesa de Lula disse que pedirá à Justiça a soltura imediata do ex-presidente já nesta sexta-feira (08).

Leia Mais

Mundo

39 corpos são encontrados em caminhão no Reino Unido; Todos são chineses

Polícia não descarta hipótese de tráfico de pessoas.

Publicado

em

Um caminhão foi encontrado com 39 corpos numa zona industrial em Essex, no Reino Unido, durante a madrugada de quarta-feira. Todas as vítimas são de nacionalidade chinesa, informou a polícia local. Segundo jornais britânicos, as mortes foram declaradas no Parque Industrial Waterglade, em Thurrock. O motorista do caminhão foi preso por suspeita de homicídio.

Além da investigação, a polícia iniciou o processo de identificação dos 39 cadáveres. Na manhã desta quinta-feira (24), o ITV News informou que todas as vítimas são chinesas, sendo 31 do sexo masculino e oito mulheres.

Conforme a Agência Britânica de Combate à Criminalidade, um grupo do crime organizado pode estar envolvido nas mortes. Em junho de 2000, 58 imigrantes chineses foram encontrados mortos asfixiados em um caminhão no porto de Dover, no sudeste da Inglaterra.

A polícia já realizou buscas em imóveis na Irlanda do Norte, relacionados ao suspeito.

CRIME

A polícia de Essex recebeu o primeiro chamado às 1h40 informando da existência do caminhão com os corpos no interior. Imagens de câmeras de segurança mostram que o veículo chegou ao Parque Industrial Waterglade 35 minutos antes da polícia ser comunicada. Várias ambulâncias foram mobilizadas no socorro, mas nada pode ser feito. O motorista do caminhão, identificado pela polícia como Mo Robinson, tem 25 anos e é morador na Irlanda do Norte. Não está descartada a hipótese de tráfico de pessoas.

Leia Mais
Publicidade

Curta o 24Horas