Quarta, 30 de Setembro de 2020 21:38
(43) 99953-0833
Notícias MP

MP é acusado de vazar informações da ZR-3 para gabinete de Filipe Barros

MP é acusado de vazar informações da ZR-3 para gabinete de Filipe Barros

17/07/2018 13h57 Atualizada há 2 anos
Por: Derick Fernandes
MP é acusado de vazar informações da ZR-3 para gabinete de Filipe Barros
LONDRINA, PR - Afastado desde a deflagração da operação Zona Residencial-3, o vereador Rony Alves (PTB) denunciou o Ministério Público do Paraná (MPE) de vazar informações sobre a operação ao gabinete do vereador Filipe Barros (PSL). O Gaeco vai investigar a acusação. Conforme vinculado pela rádio Paiquerê AM, Daniel Germanovix, assessor de Barros, tinha informações privilegiadas sobre a operação que culminou na prisão dos vereadores Mário Takahashi, então presidente da Câmara Municipal de Londrina, e Rony Alves, que apresentou a denúncia. Nesta segunda-feira (16), durante a oitiva de Daniel Germanovix, a defesa de Takahashi solicitou suspensão do depoimento, em posse de uma ata-notarial de uma conversa no WhatsApp em que Germanovix 'dava a entender' que já sabia que os vereadores seriam alvo da operação do Gaeco. No grupo, Daniel teria dito em 30 de outubro de 2017: – “Pessoal, teremos uma BOMBA essa semana! E tem uma pessoa que vocês conhecem no meio___ eu acho que ela estoura essa semana. Voltamos quando tivermos mais infos;” Na data da operação, no dia 24 de janeiro deste ano, Germanovix escreveu: – “Mário foi preso! Corrupção. Bombando aqui na Câmara. Gaeco Aqui. Essa era a bomba.” Já em 26 de janeiro, o assessor de Filipe Barros volta ao grupo: – “HOJE TEREMOS MAIS UMA BOMBA! 15H MANDO AQUI.” No período da tarde naquele mesmo dia, o vereador Filipe Barros protocolou o pedido de cassação dos vereadores Mário Takahashi e Rony Alves. O vereador foi procurado para comentar o caso, mas não conseguimos contato por celular. VEJA A CONVERSA NA ÍNTEGRA [gallery type="slideshow" td_select_gallery_slide="slide" size="full" link="none" ids="29154,29152,29153,29155,29151,29156"] Após a reunião da Comissão Processante (CP), o advogado Anderson Mariano, que defende Mário Takahashi, pediu que a Comissão de Ética da Câmara de Londrina investigue o vereador Filipe Barros. A declaração foi dada à rádio Paiquerê AM. O advogado foi questionado sobre os depoimentos da CP. Um dos assuntos abordados foi sobre um veículo Jetta que seria de Takahashi. Segundo Júnior Zampar, agricultor que denunciou o suposto esquema, quando ele encontrou com Takahashi, o vereador estava com esse automóvel. A defesa diz, porém, que o parlamentar comprou o carro meses depois do relatado encontro, e ainda retirou o veículo de uma concessionária local 0 km. O vídeo do depoimento de Júnior Zampar será usado pela defesa para desqualificar o teor da denúncia. A defesa de Takahashi também diz que irá a justiça cobrar o pagamento dos salários atrasados do vereador.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Londrina - PR
Atualizado às 21h22 - Fonte: Climatempo
34°
Alguma nebulosidade

Mín. 22° Máx. 39°

32° Sensação
7 km/h Vento
23% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (01/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 39°

Sol com algumas nuvens
Sexta (02/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 23° Máx. 40°

Sol com algumas nuvens