Sábado, 26 de Setembro de 2020 15:08
(43) 99953-0833
Notícias Desempregada,

Desempregada, mulher pede ajuda embaixo de chuva em semáforo de Londrina

Desempregada, mulher pede ajuda embaixo de chuva em semáforo de Londrina

19/02/2020 17h15 Atualizada há 7 meses
Por: Derick Fernandes
Desempregada, mulher pede ajuda embaixo de chuva em semáforo de Londrina
Os olhos marejados de uma mulher chamaram a atenção da reportagem do 24Horas no cruzamento da Avenida Juscelino Kubitschek com a Rua Pernambuco, no Centro de Londrina. Ela é Vera Lúcia Cesar Matos, de 51 anos. Resolvemos se aproximar e perguntar sua história. Junto de sua filha, Mariana, e de seu companheiro, Kevin, Vera vende balas no semáforo e aproveita para entregar um bilhete onde pede ajuda para conseguir um emprego e alimentos. Ela mora no Conjunto Parigot de Souza II, na Zona Norte de Londrina, e lamenta sua condição de vida. A história de Vera começou em 1998, quando seu filho mais velho, Thiago Saturnino de Souza, desapareceu na Avenida Paulista, em São Paulo, aos 11 anos de idade. Desde então, Vera nunca mais encontrou o garoto, que hoje estaria com 33 anos. [caption id="attachment_47377" align="aligncenter" width="1280"] Foto: Derick Fernandes[/caption] "Eu fiz de tudo pra achar ele. Fiquei na Praça da Sé por alguns dias, pedi ajuda em todos os lugares, mas sem conseguir nenhuma pista, me desesperei e vim para Londrina e estou aqui desde então", contou ao jornalista Derick Fernandes. Nesta época, ela era casada e conta que seu filho, tempos antes de sumir, já havia dito que fugiria de casa porque apanhava muito de seu pai. "Ele era novinho, era um amor. Tudo o que eu queria era encontrar ele, pedir desculpas se eu fiz algo errado, dar um abraço nele; Eu sinto tantas saudades, eu tenho uma tristeza no meu peito", lamentou. Vera também contou que tem outro filho, de 18 anos, que hoje mora na Bahia, junto com uma família. De acordo com ela, o jovem se envolveu com drogas em Londrina, e para não deixá-lo sucumbir, ela tomou a iniciativa de mandá-lo para outra cidade. "Ele está lá, morando com uma família. Quando eu posso eu ajudo ele. Hoje ele não está envolvido com nada de errado, ele quer mudar de vida", disse. [caption id="attachment_47378" align="aligncenter" width="719"] Bilhete entregue por Vera pede ajuda com emprego ou alimentos - Foto: Colaboração[/caption]

VIDA NO SEMÁFORO

Perseverante, Vera Lúcia sempre está no mesmo semáforo todos os dias às 7h da manhã. Apesar da batalha, ela conta se sentir angustiada, e muitas vezes, chora ao observar seu reflexo no vidro dos carros. "Tem gente que é muito boa de coração, mas tem gente que nos ofende, nos humilha. Alguns chegam a jogar no chão o meu pacotinho de bala". [audio mp3="https://24horas.com.br/wp-content/uploads/2020/02/Untitled.mp3"][/audio] Vera ainda conta que não se lembra da última vez em que visitou um salão de beleza para cuidar de si própria. "Faz muito tempo. Esses dias eu cortei porque estava muito armado. O homem me cobrou 15 reais pelo corte". [audio mp3="https://24horas.com.br/wp-content/uploads/2020/02/vera02.mp3"][/audio]

SEU DESEJO?

Poderíamos escrever um livro dedicado à história de Vera. Ela não esconde que em sua vida, errou muito como mãe, como cidadã. Por muito tempo vítima das agressões do ex-marido, Vera tomou uma iniciativa perigosa: Chegou a furtar propositalmente para que fosse presa, e se livrasse das surras que levava em casa. "Eu uma vez fui presa, porque furtei. Mas eu furtei porque queria ser presa mesmo, eu até contei ao delegado. Fiz isso para fugir do meu ex-marido, ele me batia demais, ele quebrava minha boca. Mas isso foi há 12 anos, eu sou uma mulher digna", relata. Quando perguntamos o que ela queria para sua vida, a resposta mais uma vez foi: emprego. "Eu quero ir dormir sabendo que amanhã eu vou trabalhar, eu vou poder pagar minhas contas, ter minha casinha, minha vida é muito sofrida". [audio mp3="https://24horas.com.br/wp-content/uploads/2020/02/vera03.mp3"][/audio] [audio mp3="https://24horas.com.br/wp-content/uploads/2020/02/vera04.mp3"][/audio]

COMO AJUDAR

Quem tiver um emprego, ou puder ajudar Vera com alimentos, pode entrar em contato com o telefone (43) 99603-1453. Ela mora na Rua Thomas Pereira Machado, 490 (Fundos) no Conjunto Parigot de Souza II (Zona Norte), em Londrina.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Londrina - PR
Atualizado às 14h50 - Fonte: Climatempo
37°
Alguma nebulosidade

Mín. 16° Máx. 35°

36° Sensação
22 km/h Vento
21% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (27/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 37°

Sol
Segunda (28/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 24° Máx. 36°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.