Economia de Apucarana cresce 9% no setor de avicultura em um ano

Expectativa é de crescimento de mais 30% em até dois anos.

Leia também:

Dengue chega a quase 88 mil casos no Paraná; 69 morreram

Estado tem mais de 204 mil casos suspeitos.

Com oito testes positivos, Londrina vai a 34 casos de coronavírus

Cidade confirmou oito novos casos. Cinco pessoas estão na UTI.

Caminhoneiros passam fome nas estradas e dizem não ter onde se alimentar

Com tudo fechado, eles não tem onde se alimentar.
Derick Fernandeshttps://www.24horas.com.br
O jornalista Derick Fernandes é editor chefe do 24Horas

Dados divulgados pelo Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento (Seab) mostram que Apucarana registrou forte crescimento econômico no setor de avicultura. Em um ano, a cidade teve índices de expansão de 9% no setor, cujo a produção saltou de 15,7 milhões de frangos em 2018, para 17,1 milhões em 2019.

O setor ainda apresenta crescimento em Valor Bruto da Produção, gerada pela produção de frango de corte. O VPB quase dobrou em cinco anos, passando de R$ 85 milhões em 2013, para R$ 148 milhões no ano passado. Os dados mostram que a economia de Apucarana tem se consolidado na diversificação da atividade rural.

O prefeito Junior da Femac lembrou que Apucarana tem clima propenso, acessos rodoviários e incentivos fiscais para a instalação de unidades de avicultura. Atualmente, a empresa Borges & Rossa, de Santa Catarina, está em obras na Zona Rural da cidade, com a implantação de 17 aviários onde a produção será de 4 milhões de aves por ano.

O investimento da empresa é de R$ 20 milhões, já com um projeto de expansão para 28 aviários, e capacidade de produção de 7 milhões de aves por ano.

Nova planta da Borges & Rossa em Apucarana está em obras. Na imagem, diretores da empresa (esq) e prefeito Júnior da Femac (dir.) – Foto: Divulgação

Atualmente, Apucarana conta com 125 propriedades que se dedicam à avicultura. “São produtores independentes, famílias e empresas que estão nesta atividade. Isso gera empregos, desenvolvimento da economia, aumento do Valor Bruto da Produção e garante a diversificação das propriedades”, avalia Junior da Femac, informando que, em 2013, a avicultura representava 35% do VBP de Apucarana, fatia que hoje já supera os 46% no setor agrícola.

Os barracões instalados somam uma área construída de 25 hectares. “Isso está movimentando toda uma cadeia, passando pelo fornecimento de insumos e fortalecendo também a construção civil. Temos, inclusive, fábricas de equipamentos para aviários em Apucarana e que atendem as granjas instaladas no município”, observa Junior da Femac.

PERSPECTIVAS OTIMISTAS

Mais produtores estão aderindo à atividade e empresas estão construindo grandes estruturas. Com isso, para os próximos dois anos, a projeção é que a avicultura cresça em torno de 30%.

O secretário municipal de Agricultura, José Luiz Porto, afirma que Apucarana tem alguns diferenciais para o desenvolvimento da avicultura. “A posição geográfica facilita a logística, pois estamos próximos de vários frigoríficos que fazem o abate. Além disso, Apucarana tem um clima favorável. Faz um pouco mais de frio e com isso se consome menos energia para resfriar os barracões”, avalia.

Entre os incentivos dados pela Prefeitura, Porto cita a distribuição de mudas de sanção do campo. “A planta é utilizada como cerca viva para isolar os barracões, protegendo contra ventos que muitas vezes trazem doenças e também contra animais. Todos os cuidados devem ser tomados e são uma exigência do mercado, pois o ciclo de engorda é muito rápido, variando de 38 a 46 dias”, observa Porto.

Comentários

#Face24H

- Publicidade -