Filha reencontra mãe que a doou há 47 anos no Litoral do Paraná

"Quem sou eu para não perdoá-la?" disse a mulher.

Leia também:

Dengue chega a quase 88 mil casos no Paraná; 69 morreram

Estado tem mais de 204 mil casos suspeitos.

Com oito testes positivos, Londrina vai a 34 casos de coronavírus

Cidade confirmou oito novos casos. Cinco pessoas estão na UTI.

Caminhoneiros passam fome nas estradas e dizem não ter onde se alimentar

Com tudo fechado, eles não tem onde se alimentar.
Redaçãohttps://www.24horas.com.br
Reportagens da Redação 24Horas

A história de Rute começou em 1973, em Antonina, no litoral do Paraná. A mãe, Terezinha Ribeiro , com 14 anos na época, engravidou de Ariosmar dos Santos, que tinha 16 anos. Rute nasceu em casa e o pai, na época, nem soube que teve uma filha. Pressionada, Terezinha doou Rute para outra família criar.

Rute nunca soube que era adotada, até que recentemente, a mãe adotiva dela faleceu. Foi então, que uma mulher chamada Ivete, revelou a história a Rute.

“Essa mulher me disse que disse que eu tinha outra família. Daí, após uma tragédia na minha vida em que perdi um filho de 27 anos, que foi assassinado, decidi tentar encontrar minha mãe biológica. Foi então que foi feita a postagem e acabei encontrando não só minha mãe, mas também meu pai e 16 irmãos”, conta Rute.

PERDÃO

Além da mãe, que vive em Antonina, Rute, que mora em Paranaguá, já conheceu o pai e seus 11 irmãos, que vivem na mesma cidade. Agora vai conhecer os outros seis irmãos por parte de mãe.

Questionado se perdoa a mãe por ter sido entregue a outra família, Rute diz que sim: “Quem sou eu para não perdoar? Quero viver bem com minha família e ser feliz”, completou.

O vídeo abaixo, feito por uma tia de Rute,  mostra o encontro entre mãe e filha após 47 anos. Na gravação, aparece a irmã de Rute, Solange, que está de preto. Rute está de amarelo e a mãe Terezinha está usando com bermuda cinza.

BandaB

Comentários

#Face24H

- Publicidade -