Homem mata namorada queimada por ciúmes no litoral do Paraná

Frieza do criminoso durante depoimento espantou até a delegada.

Leia também:

Dengue chega a quase 88 mil casos no Paraná; 69 morreram

Estado tem mais de 204 mil casos suspeitos.

Com oito testes positivos, Londrina vai a 34 casos de coronavírus

Cidade confirmou oito novos casos. Cinco pessoas estão na UTI.

Caminhoneiros passam fome nas estradas e dizem não ter onde se alimentar

Com tudo fechado, eles não tem onde se alimentar.
Redaçãohttps://www.24horas.com.br
Reportagens da Redação 24Horas

Um homem de 65 anos foi preso após atear fogo e matar a namorada de 66, em um crime registrado no balneário Praia Grande, em Matinhos, no litoral do Paraná.

O crime aconteceu na terça-feira (31). A idosa teve 98% do corpo queimado e chegou a ser levada com vida ao Hospital Regional em Paranaguá, mas não resistiu e faleceu ainda na noite de terça após complicações em seu estado de saúde.

Segundo a delegada Sandra Nepomuceno, o homem confessou o crime e disse que o cometeu por ter convicção que a mulher tinha um amante. “Ele não se mostra arrependido. Justifica o tempo inteiro que ela teria um amante, como se fosse motivo para fazer isso”, disse a delegada.

O homem deve ser indiciado por homicídio qualificado com agravante de feminicídio por motivo torpe e sem chance de defesa da vítima.

CRIME

O casal estava junto havia meses. Familiares disseram à polícia que os dois brigavam constantemente e que o homem ameaçava a mulher.

A vítima estava em casa quando o suspeito chegou com um galão de gasolina e ateou fogo nela. “Ela não teve tempo de fazer nada para impedi-lo”, disse a delegada.

Conforme a investigação, o suspeito tinha combustível em casa porque trabalhava com corte de grama e usava o produto para abastecer o maquinário.

Depois do crime, o homem foi para casa de um sobrinho, de acordo com a polícia.

No dia seguinte (01), a Justiça decretou prisão preventiva do homem, que foi recolhido à carceragem da delegacia de Matinhos e está à disposição das autoridades.

Comentários

#Face24H

- Publicidade -