Saúde confirma caso suspeito do novo coronavírus em Ponta Grossa

Paciente é uma criança de 7 anos que esteve na China.

Leia também:

Dengue chega a quase 88 mil casos no Paraná; 69 morreram

Estado tem mais de 204 mil casos suspeitos.

Com oito testes positivos, Londrina vai a 34 casos de coronavírus

Cidade confirmou oito novos casos. Cinco pessoas estão na UTI.

Caminhoneiros passam fome nas estradas e dizem não ter onde se alimentar

Com tudo fechado, eles não tem onde se alimentar.
Redaçãohttps://www.24horas.com.br
Reportagens da Redação 24Horas

O Ministério da Saúde e a Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa) confirmaram, nesta segunda-feira (10), um caso suspeito de novo coronavírus, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná.

É a terceira notificação de suspeita da doença no estado. Outras duas suspeitas, que haviam sido identificadas em Curitiba, foram descartadas.

Desde o começo dos alertas, o Brasil já descartou 32 casos suspeitos. Nenhum caso da doença foi confirmado no Brasil.

Nesta segunda-feira, o Ministério da Saúde informou que sete casos suspeitos são investigados.

Além do paciente identificado em Ponta Grossa, também há três suspeitas em São Paulo, e outros estados têm um caso suspeito cada: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

PRIMEIRA SUSPEITA NOS CAMPOS GERAIS

De acordo com a Sesa, o caso suspeito identificado em Ponta Grossa trata-se de um menino, de sete anos, que esteve em janeiro na região sul da China, em Taishan (Guangdong).

Ainda conforme a secretaria, o menino retornou ao Brasil no dia 30 de janeiro, e foi atendido em um hospital, no dia 6 de fevereiro, quando foi diagnosticado com sintomas de quadro respiratório leve.

“As medidas preventivas e de bloqueio foram adotadas pelo município. Enquanto se aguarda análise das amostras, o paciente passa por acompanhamento em domicílio”, informou a Sesa.

SINTOMAS E SUSPEITA

A Sesa ressaltou que podem ser considerados suspeitos casos de pacientes com sintomas respiratórios – como febre, tosse e dificuldades para respirar – e que possuem histórico de viagens para áreas consideradas de transmissão da doença, na China, no últimos 14 dias ou que tenham tido contato próximo com pessoas e casos suspeitos ou confirmados do coronavírus.

Ao constatar essas características, conforme a secretaria, o paciente deve procurar uma unidade de saúde.

G1PR

Comentários

#Face24H

- Publicidade -