SIGA O 24H

Curitiba

Menino vítima de explosão em apartamento em Curitiba morre no hospital

Criança não resistiu à segunda cirurgia neurológica.

Publicado

em

Foto: Divulgação

Morreu na tarde deste sábado (29) o menino de 11 anos arremessado do 6º andar do prédio em que um apartamento explodiu e pegou fogo no bairro Água Verde, em Curitiba. A informação foi confirmada pelo Hospital do Trabalhador, onde a criança foi internada na tarde deste sábado (29).

Outras três pessoas ficaram feridas e estão internadas no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie.

Conforme a Polícia Militar (PM), a explosão aconteceu por volta das 9h30 deste sábado e foi seguida de um incêndio. O apartamento fica no último andar do prédio, localizado na Rua Dom Pedro I. O imóvel ficou completamente destruído; As paredes desabaram e as chamas tomaram conta dos cômodos.

Um carro ficou destruído ao ser atingido por escombros – Foto: RPCTV

FERIDOS

Na hora da ocorrência, estavam no local o menino Mateus, de 11 anos, a irmã dele, Raquel Lamb, de 23 anos, o marido de Raquel, Gabriel de Araújo, 27 anos, e o técnico Caio Santos, de 30 anos.

Raquel e Caio foram internados em estado grave. O estado de saúde de Gabriel é considerado estável.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a explosão pode ter acontecido devido acúmulo de gás em ambiente fechado. Conforme o major, no momento da explosão um equipamento para impermeabilização de estofados estava sendo utilizado pelo técnico, o que pode ter gerado o incidente.

Gabriel e Raquel estavam no apartamento no momento da explosão – Foto: Arquivo pessoal

O major também afirmou que não foi constatado nenhum vazamento de gás, nem no apartamento, nem no prédio.

Conforme o Hospital do Trabalhador, o menino que morreu estava passando pela sua segunda cirurgia neurológica, mas não resistiu. Antes de ser internado, ele precisou ser reanimado pela equipe dos Bombeiros, depois de ter uma parada cardiorrespiratória.

A Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis (Cosedi), da Prefeitura de Curitiba, resolveu pela interdição do prédio temporariamente. Os pertences de todos os moradores foram retirados do edifício, com auxílio do Corpo de Bombeiros.

Publicidade

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Curitiba

Menino de 12 anos mata vizinha a facadas e diz que se inspirou em jogo

Criança disse aos policiais que ‘queria ver como era matar alguém’.

Publicado

em

Foto: Reprodução

Um adolescente de 12 anos foi apreendido depois de entrar na casa da vizinha, uma senhora de 65 anos, e matá-la com três facadas pelas costas. O crime aconteceu na madrugada de sexta-feira (18) no bairro Cajuru, em Curitiba.

A vítima chegou a ser socorrida ao Hospital Cajuru, mas não resistiu e morreu logo em seguida. A vítima era conhecida da família do garoto, que sempre estava visitando a casa da idosa. O garoto disse ter se inspirado em no jogo eletrônico Free Fire para cometer o crime.

O menino fugiu logo após o crime, mas foi encontrado pela mãe, que o levou para casa e acionou a Polícia Militar (PM). A criança ainda contou que o objetivo era fazer igual ele via nos jogos: “Queria ver como é matar alguém”.

DETIDO

O menino foi levado para a Delegacia do Adolescente. Lá ele foi ouvido pela promotora e deve ser encaminhado ao Centro de Socioeducação (Cense). Ele pode ficar até três anos detidos pelo crime de homicídio.

Leia Mais

Curitiba

Mulher é morta na frente do filho de 4 anos na região de Curitiba

Criança foi deixada sozinha dentro do carro; Corpo da mulher foi desovado

Publicado

em

Uma cena chocante em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, na noite desta quarta-feira (16). Um menino de 4 anos estava sozinho dentro de um Renault Kwid branco, atolado no meio de um matagal na beira de um rio, às margens da rua Rotterdan, limite com Piraquara. O corpo da mãe dele, Beatriz Stefanichan de Almeida Santos, de 25 anos, foi encontrado boiando dentro da água, vítima de um assassinato.

O subtenente Valdir, do Batalhão de Polícia de Guarda, explicou que a situação entrou à Polícia Militar (PM) depois que um casal teria visto a mulher machucada dentro do carro.

“A situação começou no fim da tarde, como se fosse um sequestro de um carro. Posteriormente, o veículo foi localizado neste local onde está agora. A criança foi resgatada e a mulher não, mas havia muito sangue no carro. Dentro do rio, então, encontramos o corpo submerso”, descreveu.

A criança foi resgatada pela Força Nacional e entregue aos avós, de acordo com o investigador Sérgio Klaar, da Polícia Civil de Piraquara. “O menino estava dentro do carro, sozinho, e a Força Nacional chegou. Posteriormente, encontramos o corpo da mãe boiando dentro da água”, descreveu.

O investigador ainda explicou que o latrocínio (roubo seguido de morte) é uma hipótese, mas não a única linha de investigação. “Ainda estamos caminhando na investigação. Não dá para descartar nenhuma hipótese. Pelo o que conseguimos constatar, houve luta corporal dentro do carro. Apenas a perícia vai dizer a arma usada pelo assassino”, disse.

O corpo da mulher foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML).

Com informações da Banda B

Leia Mais

Curitiba

Seis pessoas morrem após caminhão cair de ribanceira em Cerro Azul, no Paraná

Veículo fazia transporte irregular de passageiros para Doutor Ulysses.

Publicado

em

Seis pessoas morreram em um grave acidente registrado no fim da tarde de domingo (13) na PR-092, entre os municípios de Cerro Azul e Doutor Ulysses, na Região Metropolitana de Curitiba. A informação é que uma caminhonete caiu em uma ribanceira de 40 metros de altura.

O veículo estava transportando 30 pessoas de maneira irregular entre os municípios. As vítimas faziam parte de um grupo evangélico que tinha ido participar de um culto em Doutor Ulysses. Todos seriam moradores de Cerro Azul e estavam voltando para casa na hora do acontecido.

A estrada onde o acidente aconteceu é extremamente precária, não tem asfalto e nenhuma sinalização. A rodovia é a única ligação de Doutor Ulysses com a capital. A cidade fica a 90 quilômetros de Curitiba, mas é necessário ao menos seis horas de viagem por conta das condições da estrada.

Caminhonete caiu em uma ribanceira – Foto: PRE / Divulgação

ACIDENTE

Inicialmente, os bombeiros haviam falado em cinco mortos, entretanto, uma das vítimas morreu a caminho do hospital em Curitiba. Ao menos 26 pessoas ficaram feridas por conta do acidente e dez delas estão em estado grave. Caminhonetes adaptadas são frequentemente utilizadas para transporte de passageiros nessa região do Paraná. As linhas regulares de transporte operam somente uma vez por dia, as vezes nem chegam a operar.

Os bombeiros acreditam que o motorista da caminhonete acabou caindo com o rodado em um buraco de erosão e o veículo despencou a ribanceira. O pau-de-arara levava 30 passageiros.

De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), três infrações gravíssimas foram cometidas.

  • Transportar passageiros em compartimento de carga do veículo
  • Motorista estava com a carteira vencida
  • Veículo estava com licenciamento vencido

“Infelizmente, às vezes a gente se depara com essas situações, que são lamentáveis. A gente sabe dos perigos que todos correm, dos perigos que todos estão sujeitos a um acidente grave como aconteceu, mas infelizmente de vez em quando a gente se depara com essa situação sim”, disse a secretária de Saúde sobre os transportes improvisados na região.

Caminhonetes adaptadas levam passageiros entre Cerro Azul e Doutor Ulysses – Foto: Arquivo

VÍTIMAS

Dez pessoas ficaram feridas em estado grave, de acordo com a PRE. As vítimas foram levadas para três hospitais de Curitiba: Mackenzie Evangélico, Cajuru e Trabalhador.

Logo após o acidente, 20 feridos chegaram a ser levados ao Hospital Municipal de Cerro Azul, que fica a 50 quilômetros de distrância do local do acidente. Ali eles receberam os primeiros atendimentos antes de serem transferidos para unidades avançadas da Capital.

Entre as vítimas estão crianças e idosos. A maior parte dos feridos mora em Cerro Azul, segundo a Secretaria de Saúde do Município.

Os seis corpos foram levados ao Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba. Até as 9h desta segunda-feira, ninguém havia ido ao IML para liberar os corpos.

Leia Mais
Publicidade

Curta o 24Horas