SIGA O 24H

Economia

Construtora A.Yoshii é premiada com selo ODS, da ONU

Premiação aconteceu na sexta-feira (05) em Curitiba

Publicado

em

O Grupo A.Yoshii, referência em construção civil no Brasil há mais de 50 anos, recebeu na última quinta-feira (5) o Selo Sesi ODS 2019 e menção honrosa durante o Prêmio Sesi ODS. Anualmente, o Sesi-PR destaca os trabalhos realizados no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Com o envolvimento das áreas de engenharia, pesquisa e desenvolvimento e segurança no trabalho, a A.Yoshii criou, em 2016, o programa “Todos Juntos” que visa a redução do consumo dos recursos naturais e geração dos resíduos em todas as obras do Grupo, e fomenta práticas voltadas à saúde e segurança dos trabalhadores.

Com base no histórico de consumo mensal, foram elaborados índices de referência e proposto metas de redução de consumo de acordo com as tipologias construtivas. Com os indicadores mensais, é realizada a tabulação dos resultados e atribuídos pontuação e ranqueamentos. Trimestralmente, a obra com melhor desempenho é premiada e os resultados divulgados para o público interno.

O Instituto A.Yoshii, braço de responsabilidade social do Grupo, também recebeu o Selo Sesi ODS 2019 na categoria Organização da Sociedade Civil, pelo projeto “Criando Arte”. Desde 2007, tem o objetivo de transformar matéria-prima proveniente de resíduos da construção civil em artesanato sustentável, gerando renda para pessoas em situação de vulnerabilidade, em especial o público feminino.

“Entendemos o impacto gerado pela construção civil e queremos conscientizar todos os colaboradores, que levam o projeto muito a sério. A empresa possui equipe multidisciplinar envolvida em disseminar a consciência ecológica e fomentar a implantação de ideias que gerem benefício real para o meio ambiente, colaboradores, empregador e a sociedade”, diz o presidente do Grupo A.Yoshii, Leonardo Yoshii.

O Prêmio Sesi ODS

Oferecido pelo Sistema Fiep, por meio do Sesi no Paraná, a premiação tem o objetivo de estimular e reconhecer os melhores projetos de indústrias, empresas, poder público, organizações da sociedade civil e instituições de ensino para a promoção de dimensões sociais, ambientais, econômicas e institucionais que contribuam para o alcance dos objetivos e metas da Agenda 30 para o Desenvolvimento Sustentável no Brasil.

Publicidade

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Brasil

Bolsonaro recebe presidente da China em Brasília e assina vários acordos

A bilateral entre os dois chefes de Estado ocorre no âmbito da 11ª Reunião de Cúpula do Brics

Publicado

em

Foto: Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro recebeu, hoje (13), o presidente da República Popular da China, Xi Jinping, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. O líder chinês chegou às 11h10 ao prédio onde estão previstas a assinatura de atos e uma declaração conjunta à imprensa.

O encontro entre os dois chefes de Estado ocorre menos de um mês depois de o presidente Jair Bolsonaro visitar a China. Na ocasião, foram assinados acordos e memorandos de entendimento em política, ciência e tecnologia e educação, economia e comércio, energia e agricultura. Agora, os dois países querem aprofundar esse intercâmbio, a confiança política e ampliar a cooperação em diversas áreas.

A bilateral entre os dois chefes de Estado ocorre no âmbito da 11ª Reunião de Cúpula do Brics, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. A programação do evento começa nesta tarde com o encerramento do Fórum Empresarial do Brics. Antes, Bolsonaro também se encontra, no Palácio do Planalto, com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi.

À noite, de volta a Itamaraty, o governo brasileiro oferecerá um jantar em homenagem aos líderes do bloco, e amanhã (14), também no Ministério das Relações Exteriores, acontecem as sessões plenárias e o almoço de encerramento da cúpula.

CÚPULA

Presidida pelo Brasil, a reunião do Brics tem como lema Crescimento Econômico para um Futuro Inovador. Segundo o Itamaraty, serão discutidos, prioritariamente, temas relacionados à ciência, tecnologia e inovação, economia digital, saúde e combate à corrupção e ao terrorismo. Esta é a segunda vez que Brasília sedia a conferência – a primeira vez foi em 2010. Em 2014, o Brasil também organizou a cúpula, realizada em Fortaleza.

Leia Mais

Economia

Bolsa de Valores fecha em queda após Lula ser solto

Dólar disparou e é negociado a R$ 4,16.

Publicado

em

Foto: Arte / Veja

A Bolsa de Valores de São Paulo (BMF&Bovespa) fechou em queda de 1.78% aos 107.629 pontos após a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na tarde desta sexta-feira (07).

O índice estava operando em alta até às 16h40, mas registrou forte queda às 16h45, quando foi publicada a decisão judicial determinando a soltura do ex-presidente.

LEIA TAMBÉM >

O dólar fechou em alta de 1,82% e é negociado a R$ 4,16 enquanto o Euro também registrou elevação de 1,52% e é cotado a R$ 4,59.

Economistas apontam o resultado devido ao cenário de incertezas sobre a economia mundial e acerca e um acordo entre Estados Unidos e China no exterior. Investidores ainda avaliam negativamente a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de derrubar a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.

A alta é a maior registrada em uma semana em mais de um ano.

Leia Mais

Economia

BRF inaugura centro de distribuição em Londrina e deve gerar 300 empregos

Investimento na cidade foi de R$ 80 milhões, com previsão de ampliação.

Publicado

em

Foto: Divulgação

A maior empresa processadora de alimentos do Brasil e uma das maiores do mundo, a BRF, dona de marcas como Sadia, Perdigão e Qualy, inaugurou o novo centro de distribuição da companhia em Londrina.

Com 101 mil metros quadrados, a área cedida pela prefeitura fica na extensão da Avenida Saul Elkind, na saída para Ibiporã, na Zona Norte. O prefeito Marcelo Belinati visitou as instalações da empresa e comemorou a retomada da confiança dos investidores em Londrina: ”

São mais de R$ 80 milhões de reais de investimentos, muitos empregos gerados, uma potência que vai movimentar a economia, gerar empregos e renda para a cidade. Isso representa uma mudança de rumo para Londrina, pois em outros anos as empresas iam embora da cidade e, agora, isso mudou. As indústrias e empresas daqui estão permanecendo e as de fora estão vindo para cá. Seja bem-vinda a nossa cidade, BRF. É um grande orgulho para Londrina, receber esta empresa“, disse o prefeito.

O centro começa a operar empregando 127 pessoas, mas a empresa estiva que sejam 300 empregos até junho de 2020. Com a unidade Londrina, este passa a ser o 26º Centro de Distribuição da BRF. O complexo vai atender o interior do Paraná, Mato Grosso do Sul, além das regiões noroeste e centro-oeste do estado de São Paulo.

A BRF ainda deve investir mais na cidade com a ampliação da capacidade do CD, previsto para 2023 e 2028. A capacidade é de 20 mil toneladas de produtos mensais que serão movimentadas no complexo.

Cadastro de currículos na empresa podem ser feitos através do site:

Leia Mais
Publicidade

Curta o 24Horas