Londrina e região
EM ALTA

Empresário que já esteve preso por lesar clientes compra emissora de TV em Londrina

Rogério Cizeski foi preso em 2015 após operação do Gaeco em Criciúma.

LONDRINA – O empresário catarinense Rogério Cizeski, preso em 2015 por suspeita de lesar 8,8 mil pessoas em um caso emblemático na cidade de Criciúma (SC), comprou recentemente por um valor estimado em até R$ 10 milhões do empresário João Cioffi, uma emissora de TV na cidade de Londrina.

A RTV exibe diariamente programas em sua grade, a maioria de produção independente. O canal, porém, ainda não está digitalizado, e não há prazo para a digitalização. O canal opera na sintonia 36 UHF.

Até o dia 29 de novembro, o sinal analógico será desligado em Londrina. A emissora, porém, ainda não está digitalizada, e com a aproximação do prazo final, o canal pode ser prejudicado e sair do ar. A sintonia é um canal educativo, que não permite exibição de publicidades comerciais, de acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações.

O canal é o mesmo que até março desse ano era administrado pelo ex-prefeito Barbosa Neto (PDT). Barbosa utilizava a TV para apresentar seu programa. O ex-prefeito mais recentemente se candidatou a Deputado Federal pelo PDT, mas não se elegeu.

Cizeski esteve na cidade recentemente e, de acordo apurou o 24H, teve encontros com o atual prefeito Marcelo Belinati (PP), além de visitar igrejas, potenciais clientes em horários na programação da emissora.

O CASO

Cizeski responde processo desde 2015, após ser preso pelo Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ligado ao Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC). O mandado de prisão foi expedido pela 1ª Vara Criminal de Criciúma. Rogério é proprietário da Criciúma Construções, suspeita de lesar 8,8 mil consumidores na venda de imóveis que ficaram inacabados.

As investigações apontaram prática de infrações penais, como venda de apartamentos sem a incorporação imobiliária, estelionato, parcelamento irregular do solo urbano, falsidade ideológica, fraude processual, ocultação de bens e crimes relacionados à falência. As informações foram publicadas no Diário Catarinense.

Além de Cizeski, outros dois envolvidos no esquema foram detidos. A operação cumpriu ainda outros 12 mandados de busca e apreensão em Itajaí, Lages, Joinville e Florianópolis.

O empresário foi contatado para comentar o assunto, mas não foi localizado. O advogado dele, e seu sócio, Jefferson Monteiro, também foi procurado, mas não retornou as mensagens. O 24H apura ainda outros casos em que Cizeski está envolvido, e a reportagem será publicada nos próximos dias com detalhes.

ATUALIZADA ÀS 16H06

Publicidade
Assuntos

2 Comentários

  1. Engraçado que para pagar os credores não tinha dinheiro… Agora surgiu 10 milhões para comprar canal de TV… Eita Brasil!

Relacionados

Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios