23 C
Londrina

Homem agredido em UPA disse que era ladrão e ameaçou enfermeiros

Leia também:

Homem morre em acidente entre moto e ônibus na Dez de Dezembro

Acidente aconteceu próximo ao acesso do Jardim Piza, na Zona Sul.

Pai, mãe e filho morrem em acidente na BR-101 em Jaguaré, no ES

Vítimas estavam indo passar o feriado de carnaval no litoral.

Homem traído pela mulher se pendura na rede elétrica no Centro de Londrina

Ele tentou suicídio, mas não sofreu ferimento algum.
Derick Fernandeshttps://www.24horas.com.br
O jornalista Derick Fernandes é editor chefe do 24Horas
- Publicidade -

O enfermeiro que aparece agredindo um homem no interior da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim do Sol, em Londrina, registrou um boletim de ocorrências na Delegacia de Polícia Civil e explicou a sua versão sobre o caso.

Segundo o registro, a agressão aconteceu depois do paciente ter ameaçado os profissionais da unidade e afirmado que era ‘ladrão’. O enfermeiro disse que perdeu a cabeça depois que o rapaz, cujo a identidade não foi divulgada, deferiu um soco nas costas do servidor.

“Por volta das 19h ele chegou na UPA e foi atendido. Ele já tinha passado pelo ortopedista quando assumi o plantão e não queria ir embora. Depois ele entrou na área interna da unidade e ameaçou os funcionários por causa do atendimento. Pedi para que ele deixasse a UPA, foi o momento que o homem me agrediu com um soco nas costas” – disse o enfermeiro no B.O.

LEIA MAIS >

O vídeo foi gravado no primeiro andar da unidade por outros pacientes que aguardavam atendimento. O enfermeiro pediu para que o homem deixasse a UPA, o que não foi atendido. Houve um princípio de bate boca, foi quando o servidor deferiu o tapa no rosto do homem.

Ainda segundo o boletim de ocorrências, o homem chegou a ser contido por funcionários, mas fugiu do local quando a Guarda Municipal chegou para atender o caso. Ele não foi mais localizado e nem registrou queixa contra o enfermeiro.

AFASTADO

Em nota, o prefeito Marcelo Belinati determinou que o servidor fosse afastado imediatamente das funções. O caso também está sob investigação da Corregedoria Geral do Município, que se necessário, pode demitir o servidor por justa causa.

Ainda conforme Belinati, o episódio é inadmissível e nada justifica a agressão. “Mesmo que ele tenha errado, o correto era ter acionado a Guarda Municipal que as providências legais seriam tomadas na delegacia. Esse tipo de postura dos servidores não será tolerado na minha administração” pontuou.

Assine nossa Newsletter

Receba diariamente as principais notícias do Paraná e do Brasil.

Comentários

#Face24H

- Publicidade -