fbpx
SIGA O 24H

Londrina e região

MP-PR pede que avó de Eduarda Shigematsu volte para a prisão

Terezinha de Jesus Guinaia e o filho, Ricardo Seidi, pai de Eduarda, são réus por homicídio e ocultação de cadáver.

Publicado

em

Avó se diz inocente e diz que não sabia da morte da neta. Imagem: Arquivo

O Ministério Público em Rolândia, pediu para que a avó de Eduarda Shigematsu, Terezinha de Jesus Guinaia, seja presa novamente. O pedido foi feito pelo promotor Hideraldo José Real, que entrou com recurso no final da semana passada. Terezinha foi solta na quinta-feira (27) mesmo após se tornar ré, junto com o filho, Ricardo Seidi, pela morte e ocultação do cadáver de Eduarda, que tinha 11 anos.

No documento, o promotor diz que a soltura que Terezinha gerou grande clamor e repercussão negativa na sociedade local, e pede a suspensão da decisão de soltar a avó. O pedido da promotoria é em caráter de urgência e aguarda a decisão da justiça.

Terezinha deixou o 3º Distrito Policial, em Londrina, monitorada por tornozeleira eletrônica. Para o juiz que concedeu a liberdade vigiada da avó, a ré não tem antecedentes criminais, as investigações do caso já foram concluídas e Terezinha não deve atrapalhar a continuidade do processo.

Já Ricardo Seidi, pai de Eduarda e filho de Terezinha, a justiça determinou a continuidade da prisão, pois as investigações mostraram que ele foi o “protagonista principal e executor direto dos crimes de feminicídio qualificado e ocultação de cadáver”.

Ricardo Seidi assumiu ter enterrado o cadáver da filha, mas nega o assassinato.  – Foto: Arquivo

Justiça manda soltar avó da menina Eduarda Shigematsu

Polícia Civil conclui inquérito sobre a morte da menina Eduarda

Publicidade
Publicidade

Curta o 24Horas

EM 24HORAS >