fbpx
PUBLICIDADE
EducaçãoLondrina

Servidores da UEL recebem salário e greve está indefinida

No mesmo dia em que o Sindicato da Universidade Estadual de Londrina (Assuel) declarou greve, o Governo do Paraná efetuou o pagamento atrasado dos servidores Com um dia de atraso, o pagamento do salários dos servidores da UEL. A greve foi votada nesta quinta-feira (1) e aprovada com 47 votos a favor e 31 contra, ela começaria na próxima segunda.

O professor Nilson Maganin Filho, presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público Estadual de Londrina e Região (Sindiprol) confirmou a informação à reportagem da Paiquerê e disse que a assembleia da categoria, marcada para a próxima segunda-feira (5) com servidores de outras instituições na sede da Universidade Estadual de Maringá (UEM) está mantida. “(O pagamento) entrou na conta individual. A assembleia está mantida mesmo com a retirada do indicativo de greve por nossa parte, porém existem outras questões que serão analisadas, como os impactos de uma adesão ao Meta4”, disse. “Este atraso nos salários são um primeiro fato que corrobora com a nossa versão, de que com o Meta4 nós iremos perder a nossa autonomia. Estamos preocupados com isso”, completou.

Já Adão Brasilino, responsável pela Assuel-Sindicato, revelou em conversa telefônica que a categoria aguarda a manhã de sexta-feira (2) para decidir se a Assuel continua com o indicativo de greve – já que possuem 72 horas para organização – ou se cancelam a paralisação. “O pró-reitor da UEL (Leandro Altimari) entrou em contato comigo para falar sobre o pagamento.  Porém, vamos esperar até amanhã cedo para verificar se todos os servidores receberam os seus salários e aí nos posicionarmos quanto a manutenção ou o cancelamento da greve”.

(Com informações da Paiquerê)

Leia também

Botão Voltar ao topo
Fechar