- Publicidade -
- Publicidade -

Trabalhadores decidem manter greve no transporte coletivo de Londrina

Leia também:

Silvio Santos se envolve em processo de paternidade, e pode ser pai novamente

O apresentador Silvio Santos, também dono do SBT (Sistema Nacional de Televisão) poderá ser papai novamente.

Rapaz que morreu em acidente de kart estava feliz porque ia ser pai

Tragédia abalou amigos e familiares do rapaz.
Derick Fernandeshttps://www.24horas.com.br
O jornalista Derick Fernandes é editor chefe do 24Horas
- Publicidade -

LONDRINA – Cerca de 120 trabalhadores do transporte coletivo de Londrina se reuniram por volta das 19h desta segunda-feira (17) para a terceira e última assembléia antes da decisão da deflagração da greve da categoria. Segundo o Sinttrol, sindicato que representa motoristas e cobradores, foram três assembléias durante o dia, em horários alternados por causa da escala dos trabalhadores.

João Batista Silva, presidente do sindicato, disse que as assembleias aceitaram a proposta de reajuste de 4% do salário pela Grande Londrina, mas uma das cláusulas do acordo proposto pela empresa prevê o fim da estabilidade dos cobradores, e garante os salários por um mês.

Isso acontece por causa do anúncio da TCGL de encerrar as operações na cidade, por estar em desacordo com o edital de licitação lançado pela prefeitura, que escolherá as novas concessionárias do transporte coletivo municipal. A diretoria da TCGL disse que não iria participar, pois a licitação não era vantajosa financeiramente para a empresa.

Em 2017, um acordo entre os funcionários e a empresa garantiu a estabilidade salarial por três anos. Mas o anúncio do encerramento em 2019 pode mudar os termos. Ainda de acordo com João Batista, os trabalhadores querem que os salários sejam mantidos aos trabalhadores durante o tempo acordado, mesmo com o fechamento da Grande Londrina.

Sobre os 4% de aumento, o líder sindical salienta que a TCGL quer fazer o pagamento a título de indenização. O que os trabalhadores reivindicam é que a porcentagem seja incorporada ao holerite, mesmo que em fevereiro.

ESTADO DE GREVE

Os trabalhadores seguem em estado de greve, mas a paralisação total continua suspensa enquanto as negociações prosseguirem. Uma liminar da Justiça determina que 70% da frota seja mantida em circulação; o sindicato entendeu que a decisão é proibitiva e por isso, pelo menos por hora, os ônibus não devem deixar totalmente de circularem.

Assine nossa Newsletter

Receba diariamente as principais notícias do Paraná e do Brasil.

Comentários

#Face24H

- Publicidade -