Polícia Civil apura fraude milionária em licitação para iluminação pública em Foz do Iguaçu

Suspeita é que licitação de R$ 10 milhões tenha sido direcionada.

Leia também:

Londrina vira assunto no Twitter por relatos de violência sexual entre jovens e adolescentes

Elas chamam a atenção para casos de violência e abusos, e pedem por Justiça.

Homem que estava em carro roubado morre em confronto na BR-369 em Cambé

Homem estava armado. Polícia encontrou droga no carro.
Derick Fernandeshttps://www.24horas.com.br
O jornalista Derick Fernandes é editor chefe do 24Horas
- Publicidade -

Cerca de 80 policiais civis do Paraná e Santa Catarina estão cumprindo 25 mandados de busca e apreensão desde o início da manhã desta quinta-feira (21) no âmbito da operação “Luz Oculta”, que investiga fraude de R$ 10 milhões na licitação da implantação de iluminação pública em LED em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná.

As ordens judiciais são cumpridas além de Foz, também em Cascavel, Curitiba, Fazenda Rio Grande e Balneário Camboriú (SC).

INVESTIGAÇÃO

Conforme a Polícia Civil, apenas uma empresa se habilitou para o processo de licitação em Foz. A Energepar Empreendimentos Elétricos LTDA tem sede em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, e conforme apurado por uma CPI na Câmara de Foz, é suspeita de fraudar a licitação e implantar na cidade luminárias sem a certificação necessária.

Há ainda indícios que o contrato com a prefeitura de Foz foi direcionado para que a empresa fosse a ganhadora da licitação, no valor de R$ 10,3 milhões. Desse total, R$ 7,8 milhões já foram pagos à empresa. A informação consta no site do Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR) e no Portal Transparência de Foz do Iguaçu.

A investigação também apura se houve superfaturamento no valor final de cada luminária instalada no município.

Relatório da CPI indica que houve direcionamento de licitação para empresa em Foz do Iguaçu

PLÁGIO

A polícia ainda apurou que o projeto básico de iluminação em Foz do Iguaçu foi plagiado de outras obras científicas de outras cidades e países, e por isso, o projeto não levou em consideração as necessidades de Foz do Iguaçu.

Para a Polícia Civil, dessa forma, o plano perdeu a finalidade e a justificativa da troca da iluminação pública na cidade.

LARANJAS

A investigação agora foca no envolvimento de “laranjas” no possível esquema, desde empresários a agentes públicos municipais e políticos.

Fique ligado:

- Publicidade -