SIGA O 24H

Política

Câmara dos Deputados ouvem testemunhas em processo contra Boca Aberta

Deputado responde a processo no Conselho de Ética.

Publicado

em

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados se reúne nesta terça-feira (08), em Brasília, para ouvir três testemunhas incluídas pelo relator Alexandre Leite (DEM-SP) no processo movido contra o deputado federal Boca Aberta (PROS-PR).

Boca Aberta responde o processo por causa de um vídeo gravado no Hospital São Camilo, em Jataizinho, durante um das ‘blitz’ promovidas pelo parlamentar. As imagens mostram ele entrando na unidade hospitalar e acordando um médico que estava em horário de descanso.

LEIA MAIS:
Câmara dos Deputados abre processo contra Boca Aberta

O médico é Roberto Massaki Tanaka Filho, e é uma das testemunhas arroladas ao processo. Além dele, também serão ouvidos o técnico em enfermagem Marcos Monteiro, e o representante do Conselho Federal de Medicina, Salomão Rodrigues Filho.

ACUSAÇÃO

A ação no Conselho de Ética foi impetrada pelo PP, sob a alegação que Boca Aberta ‘adotou procedimento incompatível ao decoro ao entrar em ambiente hospitalar sem autorização, desrespeitando funcionários, causando desordem e expondo pessoas em rede social’.

O vídeo que motivou a representação tem mais de 500 mil visualizações nas redes sociais. A gravação foi divulgada no próprio perfil do deputado em março deste ano.

O deputado Alexandre Leite determinou no mês passado que todos os atos e informações referentes ao vídeo fossem colocados em sigilo, a fim de preservar a imagem dos envolvidos. O Conselho de Ética aprovou o processo contra o Boca Aberta no dia 21 do mês passado.

DEFESA

Boca Aberta se defendeu dizendo que não havia sido intimado formalmente pelo conselho, e que impetrou com mandato de segurança no Supremo Tribunal Federal para “corrigir e sanar vícios cometidos contra ele” no processo.

O político ainda salienta que ele não foi avisado acerca de desistências de parlamentares nos sorteios das listas tríplices para escolha da relatoria.

O presidente do Conselho de Étitca, deputado Juscelino Filho (DEM-MA), disse que o colegiado só vai se manifestar quando for notificado sobre o mandado de segurança impetrado por Boca Aberta.

Leia Mais
Publicidade
COMENTÁRIOS

Comentários

Publicidade

Curta o 24Horas

EM 24HORAS >