- Publicidade -
- Publicidade -

Ex-prefeito de Ibiporã é condenado a prisão por propaganda pessoal

Leia também:

Silvio Santos se envolve em processo de paternidade, e pode ser pai novamente

O apresentador Silvio Santos, também dono do SBT (Sistema Nacional de Televisão) poderá ser papai novamente.

Rapaz que morreu em acidente de kart estava feliz porque ia ser pai

Tragédia abalou amigos e familiares do rapaz.
Derick Fernandeshttps://www.24horas.com.br
O jornalista Derick Fernandes é editor chefe do 24Horas
- Publicidade -

LONDRINA – O ex-prefeito de Ibiporã, José Maria Ferreira (PTB), foi condenado a dois anos e prisão por ter feito propaganda pessoal usando recursos públicos, durante seu mandato entre 2009 e 2012. A sentença foi proferida nesta segunda-feira (18) pelo juiz substituto da comarca de Londrina, João Henrique Coelhor Ortolano, que determinou ainda que Zé Maria fique inelegível ou impedido de assumir cargo público durante 5 anos.

Atualmente, o ex-prefeito ocupa cargo comissionado no Governo do Paraná, como presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento (Fundepar). Zé Maria foi nomeado pelo governador Ratinho Júnior (PSD) para ocupar a função, ligada à Secretaria Estadual de Educação (SEDU).

Mas, por ser considerado réu primário e também pela natureza do delito, o juiz substituiu a prisão em regime aberto por prestação de serviços à comunidade, além de multa. O ex-prefeito terá que desembolsar cerca de R$ 10 mil para pagar a multa, além de cumprir penalidade alternativa, como ajudar na pintura de escolas, ou contribuir com cestas básicas a instituições de caridade.

O ex-prefeito de Ibiporã já havia sido condenado na Justiça Cível por improbidade administrativa, envolvendo os mesmos fatos dessa nova condenação.

O Ministério Público diz que, a pretexto de divulgar atos, programas, obras e serviços, José Maria fez publicar 3 mil exemplares da revista “Ibiporã Cidade que Cresce – Balanço Especial 1000 dias de Administração”. Foram gastos cerca de R$ 20,5 mil com a vinculação da revista. O ex-prefeito ainda mandou imprimir 18 mil exemplares do jornal “Governo de Ibiporã Cidade que Cresce – 3 anos de administração”. Mais R$ 17 mil foram gastos para bancar o jornal. Ambas as publicações foram confeccionadas por servidores do Núcleo de Comunicação da Prefeitura, e paga com dinheiro público, por meio de verba de publicidade.

Em sua denúncia, o Ministério Público revela que nas publicações, a figura do prefeito é enaltecida. Ele é elogiado por terceiros beneficiados com as obras públicas, e a fotografia usada na publicação já havia sido reproduzida em ‘várias reportagens’, ‘vinculando, de maneira explícita, a sua pessoa (do prefeito) às realizações da administração municipal’.

O advogado Rômulo Augusto Fernandes Martins, que defende o ex-prefeito no processo, não comentou a publicação. Zé Maria também não se posicionou sobre a sentença. Cabe recurso.

Assine nossa Newsletter

Receba diariamente as principais notícias do Paraná e do Brasil.

Comentários

#Face24H

- Publicidade -