SIGA O 24H

Brasil

Juiz da Lava Jato determina bloqueio de R$ 78 milhões de Lula

O valor do sequestro tem como base o total das propinas supostamente oferecidas pela Odebrecht.

Publicado

em

Na última terça-feira o STF decidiu que Lula não poderá aguardar em liberdade o julgamento de um recurso contra condenação no caso do tríplex. Imagem: Reprodução

O juiz Luiz Antonio Bonat, responsável pela Operação Lava Jato em Curitiba, determinou o sequestro de até R$ 77,9 milhões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A decisão foi tomada no último dia 18 e atendeu a um pedido do MPF (Ministério Público Federal) no processo em que Lula é acusado de ter recebido propina da Odebrecht por meio da compra de dois imóveis. O petista sempre negou as acusações.

O valor do sequestro tem como base o montante total correspondente às propinas supostamente oferecidas pela Odebrecht em oito contratos com a Petrobras.

Nesta ação, o MPF afirma que a Odebrecht comprou um terreno no valor de R$ 12 milhões, onde supostamente seria sediado o Instituto Lula, e um apartamento vizinho à residência do petista em São Bernardo do Campo (SP) no valor de R$ 504 mil.

Em nota, a assessoria de imprensa do petista classificou a decisão do magistrado como “ilegal e abusiva” e informou que a defesa vai recorrer. “Lula não tem e nunca teve patrimônio sequer aproximado da quantia de R$ 78 milhões”, diz o comunicado.

“O bloqueio sem fundamentação jurídica é mais uma medida de perseguição política para inviabilizar o sustento de Lula, sua família e sua defesa”, acrescentou.

Processo pronto para ser julgado

O processo já passou da fase de alegações finais, quando as defesas e o Ministério Público fazem duas últimas manifestações. Em tese, está pronto para ser julgado, mas não há prazo para que isso aconteça.

Bonat passou a ser o responsável pelos processos da Lava Jato de Curitiba após a saída de Sergio Moro, ex-juiz da operação e atual ministro da Justiça do governo de Jair Bolsonaro. Após a saída de Moro, a juíza Gabriela Hardt assumiu interinamente os processos e sentenciou Lula no caso do sítio de Atibaia.

O ex-presidente está preso desde abril do ano passado na sede da Polícia Federal de Curitiba. Ele cumpre pena pela condenação no caso do tríplex do Guarujá.

Na última terça-feira, a Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu que ele não poderá aguardar em liberdade o julgamento de um recurso contra sua condenação no caso.

 

Fonte: UOL | Stella Borges

Publicidade

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Brasil

Após tombar, caminhão tanque explode e mata motorista na Rodovia dos Tamoios

Acidente aconteceu pela manhã no KM 80.

Publicado

em

Foto: Divulgação / PRF

Um caminhão-tanque, que transportava 40 mil litros de combustível, tombou e explodiu na Rodovia dos Tamoios, na altura do km 80, em Caraguatatuba, litoral paulista, no fim da manhã desta segunda-feira, 18. O motorista do veículo morreu carbonizado, segundo informações do Corpo de Bombeiros. Outras duas pessoas ficaram com ferimentos leves.

Câmeras de segurança da via mostraram o momento em que o veículo tombou e pegou fogo. Aparentemente, o caminhoneiro perdeu o controle em uma curva, no momento em que descia o trecho de serra. O Corpo de Bombeiros divulgou vídeo já com as chamas se alastrando pela via. O combustível vazou na pista quando o caminhão pegou fogo.

O acidente aconteceu por volta das 11 horas da manhã. O trânsito na região ainda funciona parcialmente, de acordo com informações da Concessionária Tamoios, que administra a via.

As causas do acidente estão sendo investigadas.

Leia Mais

Brasil

Bolsonaro recebe presidente da China em Brasília e assina vários acordos

A bilateral entre os dois chefes de Estado ocorre no âmbito da 11ª Reunião de Cúpula do Brics

Publicado

em

Foto: Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro recebeu, hoje (13), o presidente da República Popular da China, Xi Jinping, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. O líder chinês chegou às 11h10 ao prédio onde estão previstas a assinatura de atos e uma declaração conjunta à imprensa.

O encontro entre os dois chefes de Estado ocorre menos de um mês depois de o presidente Jair Bolsonaro visitar a China. Na ocasião, foram assinados acordos e memorandos de entendimento em política, ciência e tecnologia e educação, economia e comércio, energia e agricultura. Agora, os dois países querem aprofundar esse intercâmbio, a confiança política e ampliar a cooperação em diversas áreas.

A bilateral entre os dois chefes de Estado ocorre no âmbito da 11ª Reunião de Cúpula do Brics, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. A programação do evento começa nesta tarde com o encerramento do Fórum Empresarial do Brics. Antes, Bolsonaro também se encontra, no Palácio do Planalto, com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi.

À noite, de volta a Itamaraty, o governo brasileiro oferecerá um jantar em homenagem aos líderes do bloco, e amanhã (14), também no Ministério das Relações Exteriores, acontecem as sessões plenárias e o almoço de encerramento da cúpula.

CÚPULA

Presidida pelo Brasil, a reunião do Brics tem como lema Crescimento Econômico para um Futuro Inovador. Segundo o Itamaraty, serão discutidos, prioritariamente, temas relacionados à ciência, tecnologia e inovação, economia digital, saúde e combate à corrupção e ao terrorismo. Esta é a segunda vez que Brasília sedia a conferência – a primeira vez foi em 2010. Em 2014, o Brasil também organizou a cúpula, realizada em Fortaleza.

Leia Mais

Brasil

Em Brasília, militantes do PT comemoram com cerveja, fogos e batuque

Em Curitiba, deputada Gleisi Hoffmann deu entrevista em frente à sede da PF

Publicado

em

Foto: Reprodução

Dezenas de militantes e simpatizantes do PT se reuniram em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, para comemorar a decisão que derrubou as prisões em segunda instância, e além de beneficiar a soltura de 4,7 mil condenados, também beneficia a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro pela Justiça Federal do Paraná.

Preso desde 2018, Lula da Silva recorreu várias vezes à justiça alegando inocência, mas não obteve êxito e foi preso em abril de 2018 após ter sido condenado em segunda instância, pelo Tribunal Regional Federal (TRF-4) no Rio Grande do Sul. Desde então, um acampamento se formou nos arredores do bairro Santa Cândida, em Curitiba, de militantes petistas pedindo a soltura do ex-presidente.

FESTA

Após a mudança de entendimento do STF na noite desta quinta-feira (07), fogos de artifício e batuques tomaram conta da praça em frente ao STF. A festa também teve a presença de vendedores de cerveja e espetinhos, além de tendas da CUT.

Lideranças do PT também se fizeram presentes e concederam entrevistas. O ex-ministro e atual deputado Alexandre Padilha (PT/SP) publicou um vídeo nas redes sociais em que mostra a manifestação:

A deputada paranaense e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, também se pronunciou. Ela concedeu entrevista em frente à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, e contou que pedirá a liberdade imediata do ex-presidente na manhã desta sexta-feira (08).

Mais imagens da manifestação em Brasília:

Leia Mais
Publicidade

Curta o 24Horas