- Publicidade -
- Publicidade -

Justiça autoriza fim de tornozeleira para empresário réu da Operação ZR3

Leia também:

“Estava vencendo o câncer e um irresponsável tirou a vida dela”, diz filho que perdeu a mãe

Mulher morreu em acidente provocado por motorista embriagado.

Vizinho confessa que matou estudante de 19 anos em São José dos Pinhais

Homem chegou a ir no velório da jovem horas antes de ser preso.

Tiroteio entre traficantes deixa três mortos no Parolin, em Curitiba

Polícia acredita que crime tenha sido motivado por desavença entre gangues.
Redaçãohttps://www.24horas.com.br
Reportagens da Redação 24Horas
- Publicidade -

O juiz da 2ª Vara Criminal de Londrina, Délcio Miranda da Rocha, determinou o fim da medida cautelar que obrigava o empresário londrinense José Lima de Castro Neto, um dos 13 réus da Operação ZR3, ao monitoramento por tornozeleira eletrônica.

“Não há mais possibilidade fática de que o fiscalizado configure um risco à produção da prova oral pleiteada pelo órgão acusatório, e tampouco há notícia de que possa influenciar negativamente a oitiva de testemunhas arroladas por outros denunciados. O momento mais crítico da instrução criminal já se consumou”, justificou o magistrado, na decisão publicada na última terça-feira (15).

Castro Neto é acusado de participar do esquema de corrupção que buscou a alteração nas leis de zoneamento da cidade para favorecer particulares. Os vereadores afastados Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB) são descritos pelo Ministério Público como os líderes do esquema. Takahashi, inclusive, teve seu pedido para retirada de tornozeleira negado judicialmente na semana passada.

Assine nossa Newsletter

Receba diariamente as principais notícias do Paraná e do Brasil.

Comentários

#Face24H

- Publicidade -