Política

Justiça nega pedido e Mário Takahashi segue com tornozeleira

Período de monitoramento estipulado pela Justiça expira no próximo dia 17

LONDRINA – O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, emitiu parecer contrário ao pedido da defesa do vereador afastado Mário Takahashi (PV) pela suspensão da medida cautelar que obriga o parlamentar a ser monitorado por meio de tornozeleira eletrônica.

“O caso em apreço não se enquadra nas hipóteses excepcionais passíveis de deferimento do pedido em caráter de urgência, por não veicular situação configuradora de abuso de poder ou de manifesta ilegalidade sanável no presente juízo perfunctório, devendo a controvérsia ser decidida após a tramitação completa do feito”, afirma o ministro Noronha no texto da decisão, emitida na segunda-feira (7), mas divulgada somente nesta sexta (11) pelo STJ.

O advogado de Takahashi, Anderson Mariano, informou que só se manifestará sobre o assunto após o término do período de monitoramento estipulado pela Justiça, marcado para o próximo dia 17 (quinta-feira).

Takahashi é réu na chamada Operação ZR3, a qual investiga o recebimento de propinas por ele e pelo também vereador afastado Rony Alves (PTB) para garantir a aprovação de mudanças nos zoneamentos da cidade, favorecendo particulares.

Publicidade
DEIXE SEU COMENTÁRIO!

AGORA NO 24H:

Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios