SIGA O 24H

Londrina

Mãe se revolta com exibição de peça teatral em colégio de Londrina

Apresentação faz parte do Festival Internacional de Londrina (FILO)

Publicado

em

Mulher gravou um vídeo indignada - Foto: Reprodução

A exibição de uma peça teatral no Colégio Estadual Hugo Simas, em Londrina, revoltou uma mãe que gravou um vídeo questionando a direção da instituição. A gravação da advogada Fernanda Leite Carvalhaes viralizou nas redes sociais e chegou a Brasília, fazendo com que o deputado federal Filipe Barros (PSL-PR) fizesse quatro denúncias contra o colégio no Ministério da Educação, Ministério da Família, no Núcleo Regional e no Ministério Público.

Segundo Fernanda, a peça teatral exibiu um beijo homossexual para adolescentes de 16 e 17 nos. “Isso é passar a mão na minha cara. É interferir na educação dos nossos filhos, das nossas crianças. Minha filha não pode abraçar o namorado dela na escola que é repreendida”, contou.

Mas segundo a mulher, o problema não foi esse. A peça apresentada por um movimento coletivo socialista de São Paulo, segundo ela, também incitou o “boicote ao estado”, a “invasão a escolas” e fez críticas à Polícia Militar.

A encenação denominada “Quando Quebra a Queima” trás justamente a história das ocupações a escolas estaduais registradas em todo o Brasil no ano de 2016. O movimento começou por alunos do Colégio Estadual do Paraná, em Curitiba, e acabou ganhando dimensões nacionais contra o fechamento de escolas e de turmas propostas pelos governos estaduais. Mais de 350 escolas foram ocupadas na ocasião.

A mãe ainda disse que a filha dela, que tem 17 anos, pediu para ser dispensada do colégio, mas que o pedido foi negado pela diretoria. “Eles disseram que quem saísse da peça levaria cinco faltas”. A direção da escola, porém, negou a informação e disse que apresentação se tratava de uma atividade extracurricular, e que não é autorizada por procedimento padrão a liberar alunos antes do horário.

VEJA O VÍDEO:

ESCOLA SE PRONUNCIOU

A reportagem do 24Horas entrou em contato com a direção do Colégio Estadual Hugo Simas, que enviou nota oficial esclarecendo o episódio. Segundo o colégio, Fernanda fez uma “interpretação equivocada” do conteúdo da peça e do contexto da situação (leia na íntegra abaixo).

Segundo a própria direção, a peça seria exibida inicialmente no Colégio Adélia Barbosa, na Zona Norte, mas acabou sendo transferida ao Hugo Simas por conta de inviabilidade técnica. A organização do Festival Internacional de Londrina (FILO) responsável pela apresentação, solicitou via ofício a autorização para a encenação do teatro.

“O nosso colégio é a instituição pública mais antiga da cidade, e nestes mais de 80 anos, vem cumprindo um papel fundamental na disseminação da cultura e da produção artística na cidade. Cabe ressaltar, ainda, que nos últimos anos a escola também acolheu o Festival Internacional de Música de Londrina, demonstrando que o Projeto Político Pedagógico da escola tem, no diálogo e no envolvimento da comunidade escolar, um aspecto fundamental.” diz outro trecho da nota.

DENÚNCIA

O deputado Filipe Barros chegou a se pronunciar sobre a polêmica. Segundo o parlamentar, ele entrou em contato com a mulher e pediu mais detalhes sobre o caso. “Entrei em contato com a mãe e estou registrando quatro denúncias contra a escola para punir professores, pedagogos e a direção do colégio que vai ter que prestar esclarecimentos”.

Segundo o deputado, pelo que a mãe disse, a peça teatral fere o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) e trata-se de uma doutrinação ideológica. “Mais um caso como este acontece em nossa cidade. Já aconteceu no IEEL, e eu estive lá, e agora acontece no Hugo Simas, a escola mais antiga da nossa cidade. Isso é uma vergonha e precisa ser combatido”, disse Filipe.

Ele gravou um vídeo onde relata as providências que está tomando:

LEIA NA ÍNTEGRA A NOTA DO COLÉGIO HUGO SIMAS:

Nota oficial de esclarecimento sobre a apresentação do espetáculo do FILO (Festival Internacional de Londrina)- “Quando Quebra Queima”, ocorrido na última sexta-feira, dia 01/11, no Colégio Estadual Hugo Simas:

A direção do Colégio Estadual Hugo Simas, diante dos últimos acontecimentos, vem a público prestar os seguintes esclarecimentos acerca da apresentação teatral do FILO – Festival Internacional de Londrina, realizada nesta instituição de ensino na última sexta-feira, 01 de novembro de 2019, no período noturno.

Inicialmente, cumpre informar que a mencionada atividade cultural faz parte da programação do FILO, um dos mais importantes eventos culturais realizados anualmente nesta cidade. Ademais, esclarece-se que a apresentação estava programada para ocorrer em outra escola estadual do município de Londrina e, diante da impossibilidade de se realizar o espetáculo no local previamente agendado (inviabilidade técnica), a organização do Festival solicitou que a atividade ocorresse no Colégio Estadual Hugo Simas, o que foi prontamente atendido.

O nosso colégio é a instituição pública mais antiga da cidade, e nestes mais de 80 anos, vem cumprindo um papel fundamental na disseminação da cultura e da produção artística na cidade. Cabe ressaltar, ainda, que nos últimos anos a escola também acolheu o Festival Internacional de Música de Londrina, demonstrando que o Projeto Político Pedagógico da escola tem, no diálogo e no envolvimento da comunidade escolar, um aspecto fundamental.

O espetáculo, “Quando Quebra Queima”, tem classificação indicativa de 10 anos, foi um evento público, aberto à comunidade e contou com a participação dos estudantes do Ensino Médio do período noturno do colégio. A apresentação procurou trabalhar a questão das juventudes, da valorização da diversidade, do acesso à educação, dentre outros temas importantes na formação dos jovens na atualidade. A organização do FILO, ao fazer contato com a direção escolar, informou que o grupo artístico e o espetáculo já foram apresentados na Mostra Internacional de São Paulo/Paralela e em outros importantes festivais do Brasil e do Mundo.

As temáticas abordadas na apresentação compõem as Diretrizes Estaduais da Educação de várias disciplinas que estão previstas na organização curricular do Ensino Médio no Paraná. Ademais, o respeito à diversidade, a liberdade de aprender e ensinar e o pluralismo de ideias encontram proteção no texto da Constituição Federal (CF, art. 3o, inc. IV e art. 206, inc.II), na Lei de Diretrizes e Bases da Educação e em diversas leis e instruções normativas estaduais, tais como a lei n􏰀 16.454/2010, que instituiu o Dia Estadual de Combate a Homofobia no Paraná e a Instrução n􏰀 010/2010-SUED/SEED, que regulamenta a ação das Equipes Multidisciplinares para tratar da Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afrobrasileira, Africana e Indígena.

Diante das informações equivocadas que circulam na imprensa e nas redes sociais, é oportuno ressaltar que, por se tratar de uma atividade escolar, se faz necessário o controle de frequência dos estudantes. A direção escolar, de forma responsável, como sempre faz, não autoriza a dispensa de estudantes menores sem autorização de pais e ou responsáveis. Além disso, a lei estadual n.􏰀18.118/14 proíbe o uso de aparelhos/equipamentos eletrônicos durante os horários de aulas em estabelecimentos de ensino. Outrossim, permitir a filmagem de um espetáculo teatral viola os direitos autorais e expõe a imagem dos adolescentes de forma indevida.

A interpretação equivocada da atividade supracitada gera uma exposição, criminalização e insegurança dos professores (as) e funcionários (as) da escola, bem como prejudica o desenvolvimento das atividades escolares. O nosso colégio tem uma História de contribuição com a construção de uma educação pública e de qualidade em Londrina, além disso, conta com um quadro de docentes altamente qualificados e comprometidos com o ensino, conforme também observado nas últimas avaliações externas, como Prova Paraná, SAEP e Prova Brasil, levando ao aumento em nosso índice do IDEB.

Por fim, a escola reafirma seu compromisso com o diálogo aberto, democrático e com uma educação pública e de qualidade.

Atenciosamente,
Direção do Colégio Estadual Hugo Simas

Publicidade

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Londrina

Bandidos disfarçados de policiais civis tentam assalto ao Camelódromo de Londrina

Todos os envolvidos foram presos em flagrante.

Publicado

em

Foto: Derick Fernandes / 24Horas

A Polícia Militar agiu rápido e prendeu quatro assaltantes na noite desta quinta-feira (14) em um assalto ao Camelódromo de Londrina, no Centro.

Segundo informações, tudo começou quando um lojista pediu ajuda a um policial rodoviário federal, informando sobre um assalto em andamento no local. Conforme a PM, os bandidos estavam usando roupas da Polícia Civil, e teriam ido ao local para roubar uma loja específica, e se identificaram como sendo policiais, informando sobre uma suposta busca e apreensão.

O comerciante desconfiou da atitude dos criminosos e a PM foi acionada. Os assaltantes, ao notarem a chegada da PM, que cercou as saídas do prédio, fizeram reféns, mas acabaram se entregando aos policiais do Choque. Três armas de fogo foram apreendidas na ocorrência, e encaminhadas junto com os bandidos à Central de Flagrantes da Polícia Civil.

DOIS MILHÕES EM EQUIPAMENTOS

A reportagem do 24Horas esteve no local e conversou com testemunhas. Um outro lojista, que preferiu não se identificar, disse que a loja alvo dos criminosos armazenava cerca de R$ 2 milhões em equipamentos eletrônicos, entre celulares, televisores e notebooks.

Por sorte, ninguém ficou ferido na ocorrência. A identificação dos criminosos está sendo apurada.

Leia Mais

Educação

Escola Municipal será construída no Vista Bela, em Londrina

Cerca de R$ 6 milhões serão investidos na nova escola.

Publicado

em

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, anunciou nesta quinta-feira (14), juntamente com  representantes da Secretaria Municipal de Educação (SME), a publicação do edital de construção da primeira escola municipal no Residencial Vista Bela, na região norte de Londrina. Com estrutura ampla, a unidade vem para suprir uma demanda existente há vários anos nesta área da cidade, e poderá atender 500 crianças do P4 ao 5º ano.

As instalações da nova escola contarão com 10 salas de aula, outras duas para contraturno escolar, sala de informática, laboratório de Ciências, biblioteca, quadra de esportes, espaço para serviços administrativos, depósito para materiais pedagógicos, sala de professores e de supervisão, refeitório, cozinha, depósito para os alimentos, área de serviço, depósito para materiais de limpeza e higiene e banheiros para os alunos e para os funcionários. Além disso, haverá pátio para as crianças e jardim com grama e árvores.

Ao todo, o prédio contará com mais de 2.300 metros quadrados de área construída, em um terreno de 8 mil metros quadrados, localizado na mesma quadra do Colégio Estadual do Vista Bela – que fica na Rua Yoneko Shime, 300, próximo ao Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Irmã Maria Nívea (Rua Anníbal Balarotti, 110).

Atualmente, esta unidade estadual, por meio de parceria com o governo do Paraná, cede salas para atender cerca de 535 alunos de ensino fundamental da Escola Municipal América Coimbra, além de mais de 40 estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O Município investirá recursos próprios, no valor máximo de R$ 5.841.401,39. De acordo com o contrato, a partir da assinatura da ordem de serviço, a obra deverá ser finalizada em 12 meses. A expectativa é que o novo espaço de educação possa ser utilizado pela comunidade a partir do ano letivo de 2021.

Leia Mais

Londrina

Voluntários levam presentes a menino que pediu cesta básica de Natal em Londrina

Empresários, voluntários e instituições se mobilizaram para ajudar a família.

Publicado

em

Família recebeu ajuda de empresários, voluntários e instituições.

Após o 24Horas publicar uma cartinha de Natal em que um menino pedia uma cesta básica e docinhos de presente, voluntários, instituições e empresários se sensibilizaram com a história e levaram ajuda para a família, que mora no Jardim Franciscato, na Zona Sul de Londrina.

A família ganhou cestas básicas, doces, refrigerantes e brinquedos.

O pedido foi feito pelo menino Kauan, de onze anos. Ele mora com a mãe e dois irmãos e contou no texto que a família estava passando necessidades, isso devido a mãe, Angélica Mayara, estar desempregada.

Emporium da Pizza mandou entregar pizzas para a família

No mesmo dia que a cartinha foi publicada, logo surgiram as ajudas. A Pizzaria Emporium da Pizza, na Avenida José Ventura Pinto, 590 – Jardim Califórnia, tratou logo de enviar uma pizza grande deliciosa para a família. E foi uma alegria total no momento que a pizza chegou. A mãe das crianças, emocionada, agradeceu a disposição da pizzaria – uma vez que os filhos tinham tido poucas oportunidades de experimentar o alimento.

Além da pizzaria, a Lanches do Gordinho (Avenida Soit Tamurã, 700 – JD Colúmbia) também ajudou. Ontem (14) um comboio de quatro motociclistas da lanchonete levaram cesta básica, brinquedos e frutas para a família. Claro, eles também puderam experimentar o melhor hambúrguer artesanal de Londrina.

Lanches do Gordinho levou ajuda para a família

A dona da lanchonete disse que se sensibilizou com o caso, após a filha dela escrever uma cartinha de Natal pedindo que Papai Noel ajudasse as crianças necessitadas da cidade. “Não somos ricos, mas pudemos ajudar com um pouquinho. Foi uma satisfação ver o sorriso das crianças“, disse.

Outras pessoas ajudaram a família de Kauan. O grupo Amigos do Coração recebeu doações de cesta básica, além de doces e refrigerantes, e entregou na casa da família com a ajuda de voluntários.

Cesta básica arrecadada pelo grupo Amigos do Coração

A ajuda também veio da doceria Heranças da Vovó que enviou guloseimas, refrigerante e um bolo de chocolate de presente para as crianças. Andrezza Freitas, dona da doceria e quem preparou o bolo, enviou uma mensagem ao 24Horas. “Atitudes como a de vocês faz desperpetar o lado bom que ainda existe nas pessoas“.

Menino Kauan ganhou um bolo de chocolate de presente da Heranças da Vovó.

Leia Mais
Publicidade

Curta o 24Horas