Política

Necessidade real ou “cabide” de emprego? Câmara de Ibiporã aprova contratação de assessor comissionado

Vaga de assessor jurídico da Presidência encarece em R$ 6 mil o orçamento da Câmara e divide opiniões

IBIPORÃ – A Câmara Municipal de Ibiporã aprovou em sessão na noite da última segunda-feira (3), por 6 votos favoráveis e 3 contrários, a criação de um cargo comissionado para assessor jurídico da Presidência do Legislativo, com salário de R$ 6 600.

Votaram a favor da matéria os vereadores Roberval dos Santos (PSDB), Victor Carreri (PPS), Kléber Machado (PR), Miro Despachante (PPS), Zezinho Estoril (PSC), José Aparecido Abreu (PSC). Já os votos contrários partiram de Maricélia de Sá (MDB), Rafael da Farmácia (PSB) e Ilseu Zapelini (PSDB).

A matéria integra um pacote de seis projetos de lei atualmente em trâmite na Câmara de Ibiporã, os quais tratam de mudanças de mudanças no Regimento Interno, da Lei Orgânica do Município e da nova redação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos servidores da Casa. Também está em discussão o projeto de criação do Código de Ética e Decoro Parlamentar.

CONFLITO INTERNO

O projeto da criação de uma segunda vaga para assessor jurídico da Câmara de Ibiporã divide opiniões entre os parlamentares da cidade vizinha a Londrina.

Presidente do legislativo local, Roberval dos Santos defende que o assessor atual está sobrecarregado e que um segundo representante jurídico, comissionado, para atuar junto à Presidência do Legislativo teria maiores condições de furar o bloqueio do corporativismo dentro do plenário.

Outros vereadores, porém, acreditam que a criação deste novo cargo viria na contramão das expectativas da população sobre a política da cidade, ao criar novos gastos para a Câmara sem a real necessidade de fazê-lo.

Com informações da Folha de Londrina e do Portal Tudo.

Publicidade

AGORA NO 24H:

Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios