ParanáPolítica
EM ALTA

Propina bancou ‘pool party’ de Richa regada a champagne e morangos em hotel de Miami

Foto foi entregue à Justiça pelo ex-servidor Maurício Fanini.

CURITIBA – O ex-servidor Maurício Fanini, delator de um esquema de propinas no governo do Paraná, e que foi cargo comissionado na gestão de Beto Richa (PSDB), entregou às autoridades fotos do político em uma ‘pool party’ na piscina de um hotel de luxo em Miami (EUA), regada a champagne e morangos.

O ex-governador aparece ao lado de empresários que tinham contratos com o governo do Paraná, e que estão sendo investigados pelo pagamento de propina a Richa e seu grupo político.

A imagem, publicada pelo jornal O Globo e obtida em seguida pelo 24Horas, foi feita em novembro de 2014, semanas depois do ex-governador vencer a reeleição para o Palácio Iguaçu, no primeiro turno, e com 55,7% dos votos válidos.

Batizada de ‘viagem da vitória’, o roteiro, que também incluiu praias caribenhas, já haviam sido informadas por outro delator, o empresário Eduardo Lopes de Souza, da Construtora Valor. Conforme a delação, os empresários que acompanharam o então governador, ajudaram a pagar a campanha dele com parte do dinheiro desviado das contas públicas do estado.

O escândalo é investigado pelo Ministério Público do Paraná, no âmbito da Operação Quadro Negro, que apura desvios de dinheiro na construção de escolas estaduais. Richa também é alvo de denúncias na Lava Jato, onde é acusado de se beneficiar de um esquema de propinas em concessões de rodovias.

Richa nega as acusações, e afirma confiar na Justiça. No passado, ele declarou que não organizou a viagem, mas que viajou junto de ‘um grupo grande de amigos’, e que ‘cada um pagou suas despesas’. Fanini, a quem ele já chamou de malando e que disse ter traído sua confiança, pediu para ir junto, declarou.

“Ele se enfiou na viagem”, declarou Richa em entrevista à Gazeta do Povo no ano passado. Richa concluiu dizendo que a delação era ‘uma profunda mentira’. “Para mostrar intimidade comigo, com o governante, perante aqueles que ele quer subtrair algum dinheiro, ele tem que se enfiar, se mostrar íntimo.”

Dinheiro desviado teria financiado viagem de Richa a Caribe e Miami – Foto: Divulgação

Maurício Fanini, cuja delação foi homologada em fevereiro pelo Tribunal de Justiça do Paraná, aparece nas fotos ao lado de Richa.

O delator foi diretor de engenharia e projetos na secretaria de Educação. Disse ter ajudado a fraudar as medições nas obras em escolas públicas, o que gerou um rombo de R$ 30 milhões, de acordo com as investigações. Parte desses valores, pagaram a campanha à reeleição de Richa, além da própria viagem a Miami, declarou Fanini.

Na festa da piscina, aparecem também os empresários Eron Cunha, Carlos Gusso, Guilherme Michaelis e Fabrício Macedo. Os três primeiros mantinham contratos milionários com o governo estadual.

OUTRO LADO

O advogado Walter Bittar, um dos defensores de Richa no processo, questionou o vazamento da foto, e disse que a viagem já é fato conhecido e que já foi esclarecida pelo ex-governador.

“Estão querendo compará-lo ao Sérgio Cabral [ex-governador do Rio], o que é absolutamente absurdo”, declarou. “Vão requentar esse fato? Essa foto não diz nada. É só para gerar mídia.”

Ele ainda argumenta que as acusações contra Beto Richa são genéricas, e que não apontam nenhuma responsabilidade objetiva do ex-governador.

Para ele, as suspeitas partem do pressuposto de que ‘o simples exercício do cargo de governador do Paraná seria suficiente para viabilizar a imputação da prática de todo e qualquer delito que eventualmente tenha ocorrido no âmbito da administração pública’. segundo escreveu em defesa enviada à Justiça Federal do Paraná.

O Ministério Público Estadual disse que não irá se pronunciar sobre o caso, porque o procedimento de investigação corre em sigilo.

Publicidade

AGORA NO 24H:

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios